Globo não permite, e NBB mantém jogo único na final
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Globo não permite, e NBB mantém jogo único na final

Marcius Azevedo

25 de setembro de 2013 | 12h40

A sexta edição do Nosso Basquete Brasil, que começa no dia 9 de novembro, será novamente decidido em jogo único. A Liga Nacional de Basquete (LNB) ainda vai divulgar oficialmente, mas os clubes receberam um e-mail na terça-feira confirmou o formato.

A LNB, responsável pela organização do NBB, ainda negociou com os representantes da Rede Globo, principal parceira do campeonato, uma decisão em dois jogos, mas, segundo foi informado aos clubes, não há espaço na grade da emissora para transmitir duas partidas.

A Rede Globo alegou que o NBB tinha de terminar antes de junho por causa da Copa do Mundo. A final foi então agendada para o dia 31 de maio.

É apenas mais uma derrota do aspecto técnico para o financeiro. Jogadores e técnicos não concordam com o formato, reclamam todos os anos, mas os dirigentes precisam aceitar o que é determinado pela Rede Globo.

O mais justo, como sempre deixei claro neste espaço, é ver o campeão sair em uma série de cinco ou até sete jogos, como acontece na NBA. O formato de playoffs dá credibilidade ao campeonato.

A final em jogo único ou em duas partidas sempre vai dar margem para reclamações. Ou alguém aqui não lembra das declarações do técnico Hélio Rubens após sua equipe, o Uberlândia, ser derrotado pelo Flamengo no NBB5?

Em contrapartida, a Rede Globo aceitou transmitir o jogo de abertura entre Flamengo e Brasília, além do ‘Jogo das Estrelas’ do NBB, o que acontece desde o primeiro ano em que ele foi disputado.

É triste ver que, mais uma vez, o basquete ficou em segundo plano. O que vocês acham?

Flamengo, de Shilton e Marcelinho, foi o campeão do NBB5 (Marcos de Paula/Estadão)

Tudo o que sabemos sobre:

basqueteNBBRede Globo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: