Marcelinho Huertas: “Não queremos deixar o Real levar tudo”
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Marcelinho Huertas: “Não queremos deixar o Real levar tudo”

Armador do Barcelona busca título espanhol para evitar que o rival de Madri conquiste a tríplice coroa

Marcius Azevedo

19 de junho de 2015 | 06h47

*Atualizado às 15h56 com o resultado do primeiro jogo

A rivalidade entre Barcelona e Real Madrid transcende os gramados. Se no futebol o ano foi do time catalão, com os títulos da Liga dos Campeões, Campeonato Espanhol e Copa do Rei, no basquete é o clube merengue que pode confirmar uma temporada perfeita com a tríplice coroa.

Depois de conquistar Euroliga e Copa do Rei, o Real Madrid enfrenta o Barcelona na série melhor de cinco da final da ACB (Campeonato Espanhol) – o primeiro jogo foi nesta sexta-feira, com vitória do Real Madrid por 78 a 72. E, se depender do armador brasileiro Marcelinho Huertas, os merengues terão de esperar para levantar mais uma taça.

Em entrevista exclusiva ao blog, o armador brasileiro admite que o momento do arquirrival é especial, mas que o Barcelona está preparado para frustrar o Real Madrid e repetir o feito da última temporada, quando conquistou o título espanhol.

Na temporada passada, o Barcelona superou o Real Madrid na final da Liga ACB. Você acredita que vai enfrentar um adversário ainda mais motivado para dar o troco?
A rivalidade sempre existirá, mesmo que no ano passado eles tivessem ganhado ou nós tivéssemos vencido outra equipe na final. Quando os dois times se enfrentam sempre existe um clima de guerra.

Marcelinho Huertas quer evitar o terceiro título do Real na temporada (Divulgação)

Marcelinho Huertas quer evitar o terceiro título do Real na temporada (Divulgação)

A responsabilidade do Real Madrid é menor por causa da conquista da Euroliga e da Copa do Rei? O Barcelona entra mais pressionado?
Eles estão fazendo uma temporada impecável, não sei como funcionam as coisas lá dentro, mas aqui, mesmo que tivéssemos conquistado os dois títulos mencionados, sempre existe à pressão para ganhar tudo. Claro que não queremos passar o ano em branco e isso nos motiva muito. Além disso, não queremos deixar que nosso maior rival leve tudo.

A chance de impedir a tríplice coroa do Real Madrid, algo que o Barcelona conquistou no futebol nesta temporada (Liga dos Campeões, Campeonato Espanhol e Copa do Rei), é um fator de motivação? O assunto tem sido comentado por vocês?
Não comentamos, mas como disse antes, serve de motivação e também para demonstrar a nós mesmos que podemos ganhar, assim como já fizemos nos outros anos em situações parecidas.

O que o Barcelona precisa fazer para superar uma equipe tão regular quanto o Real Madrid?
Principalmente, estar mentalmente fortes. É um time extremamente talentoso e temos que controlar as emoções nos momentos de euforia deles, o que nos permitirá ter controle sobre o jogo, mesmo estando por baixo em algum momento qualquer do jogo. Controlar rebote defensivo é chave e evitar bolas perdidas em primeira linha, principalmente, pois eles são muito eficazes em contra-ataque.

Quais os pontos positivos e negativos do Real Madrid?
Muitas armas ofensivas, principalmente linha exterior. Já o negativo, estrutura defensiva não muito ordenada muitas vezes.

E os do Barcelona?
Maior equilíbrio interno e externo, já o negativo não se deve comentar antes de um confronto assim.

O Barcelona tem encontrado muitas dificuldades como visitante nesta temporada… O fator casa (o Real faz três jogos em Madri na série) pode ser determinante para definição do título?
É importante, mas não determinante. No ano passado eles tinham a vantagem e nós acabamos levando o caneco. Na série de playoff os ajustes são muito importantes e não é um jogo único que decide. Estratégia vale muito e esperamos poder repetir o feito do ano passado.

Marcelinho Huertas quer evitar o terceiro título do Real na temporada (Divulgação)

Marcelinho Huertas quer evitar o terceiro título do Real na temporada (Divulgação)

Qual avaliação faz da sua temporada individualmente?
Comecei muito bem e tive momentos de muito protagonismo e inspiração quando tivemos muitos jogadores importantes machucados até janeiro. Logo depois da Copa do Rei, eu estive num momento ruim durante uns dois meses que coincidiram com uma dor forte no tornozelo. Nessa reta final de campeonato tenho ótimas sensações de ter recuperado meu melhor basquete e estar ajudando o time a lutar por mais um título.

Depois de tanto tempo, é possível apontar o técnico Xavi Pascual como um dos melhores com quem você já trabalhou na carreira?
Sem duvida, é um grande conhecedor e estrategista, com conceitos muito apurados e inovadores. Ganhou uma infinidade de títulos com o ‘Barça’ e, com certeza, tem um futuro e pode tornar-se uma lenda se seguir dirigindo dessa maneira e conquistando títulos. Por sorte, tive a oportunidade de trabalhar com ótimos técnicos e super conceituados, além do Xavi, que me transformaram no jogador que sou hoje, principalmente, em relação a conceitos e tática.

NOTA DO BLOG: Huertas não quis responder sobre NBA e seleção brasileira neste momento porque está focado apenas na final ACB

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.