Ibirapuera volta a ser palco do Mundial de Clubes 31 anos depois
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Ibirapuera volta a ser palco do Mundial de Clubes 31 anos depois

Bauru e Real Madrid vão se enfrentar em São Paulo nos dias 25 e 27 de setembro

Marcius Azevedo

03 Agosto 2015 | 09h58

O ginásio do Ibirapuera volta a ser palco do Mundial de Clubes (Copa Intercontinental) depois de 31 anos. A expectativa do patrocinador do Bauru (leia entrevista aqui) se confirmou e os jogos contra o Real Madrid serão em São Paulo.

Campeão da Liga das Américas, Bauru enfrenta o Real Madrid, que conquistou a Euroliga, nos dias 25 e 27 de setembro, sexta-feira e domingo, respectivamente.

A última vez em que o Ibirapuera recebeu o Mundial de Clubes de basquete foi em 1984. À época, o Banco di Roma, da Itália, conquistou o título em um torneio que contou com Obras Sanitárias, da Argentina, Sírio, o representante brasileiro, Barcelona, da Espanha, e Lexington Marathon Oilers, dos Estados Unidos. O sistema era de pontos corridos.

Bauru e Real Madrid se enfrentam nos dias 25 e 27 de setembro

Bauru e Real Madrid se enfrentam nos dias 25 e 27 de setembro

O Ibirapuera também presenciou um dos quatro títulos mundiais do Real Madrid. O tetracampeonato foi conquistado em 1981, em São Paulo. Os espanhóis, que haviam sido campeões em 1976, 1977 e 1978, superaram o Sírio por 109 a 83 na decisão, com excelente atuação de Mirza Delibasic, que anotou 33 pontos.

Outras duas edições ocorreram no Ibirapuera. A de 1979 foi inesquecível para o basquete brasileiro. No dia 6 de outubro, o Sírio superou o Bosna Sarajevo por 100 a 98 e foi campeão mundial. Oscar anotou 42 pontos. Marcel e Marquinhos contribuíram com 22 cada um.

A primeira vez que o Ibirapuera recebeu o Mundial foi em 1973. O Sírio também brigava pelo título e, apesar de derrotar o Ignis Varèse, da Itália, na última rodada, viu os italianos serem campeões. O revés para o Vaqueros de Bayamón, de Porto Rico, custou caro aos brasileiros.

Agora, novamente em um ginásio com muita história, Bauru e Real Madrid vão decidir o título mundial. Os espanhóis, claro, são favoritos mesmo com os possíveis desfalques (o EuroBasket termina cinco dias antes) , mas os brasileiros têm condições de surpreender.