Kevin Durant compara com café e defende liberação da maconha na NBA
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Kevin Durant compara com café e defende liberação da maconha na NBA

Bicampeão da liga, o astro do Brooklyn Nets espera que os jogadores não sejam mais punidos pelo uso

Marcius Azevedo

28 de fevereiro de 2020 | 14h14

Duas vezes campeão da NBA, Kevin Durant defendeu que a maconha e seus derivados não façam mais parte da lista de 200 substâncias proibidas pela liga americana. As declarações foram dadas em entrevista ao podcast “All The Smoke” nesta sexta-feira.

“Se você a ama, você a ama. Se não é a sua preferência, você nem vai buscá-la. Maconha é maconha. Não é prejudicial a ninguém. Só pode ajudar, fazer coisas boas. Na minha opinião, não deve ser um tópico de discussão hoje em dia”, afirmou o jogador, que trocou o Golden State Warriors pelo Brooklyn Nets antes do início da atual temporada e ainda não entrou em quadra por estar se recuperando de uma lesão no tendão de Aquiles.


Kevin Durant defende liberação da maconha. Foto: Nicole Sweet-USA TODAY Sports

“Por que estamos falando sobre isso? Não deveria nem ser uma conversa. Por isso, espero que possamos superar isso e o estigma em torno do assunto. A maconha faz as pessoas se divertirem, se unirem. Essa planta nos une”, completou Durant.

A declaração, claro, tem um interesse comercial. O jogador se uniu a uma empresa de capital de risco especializada em Cannabis no ano passado e fez ainda uma parceria com o rapper Snoop Dogg para apoiar uma Startup de maconha chamada ‘Dutchie’.

Durant comparou o uso da maconha com outras substâncias que são consumidas por companheiros da NBA. “Todo mundo na minha equipe bebe café todos os dias. Ingerem cafeína todos os dias. Os caras saem para beber vinho depois dos jogos ou tomam uma bebida de vez em quando. A maconha deve estar no mesmo nível”, afirmou. “Espero que isso aconteça (liberação) na NBA.”

Na liga americana, os jogadores que são pegos no exame antidoping com maconha e seus derivados no sangue recebem um aviso na primeira vez. Se o isso acontecer uma segunda vez, ele são multados em US$ 25 mil (R$ 112 mil) e, na terceira, são suspensos por cinco jogos na temporada.

Tudo o que sabemos sobre:

basqueteKevin DurantNBA

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: