LeBron quer jogar com o filho na NBA; entenda a regra que pode impedir
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

LeBron quer jogar com o filho na NBA; entenda a regra que pode impedir

A chamada one-and-done força o jogador a esperar um ano após sair da High School para entrar na liga

Marcius Azevedo

08 de dezembro de 2020 | 21h35

LeBron James afirmou em sua primeira entrevista na pré-temporada que um dos motivos para assinar uma extensão contratual com o Los Angeles Lakers é que ele pode ser agente livre no ano (2023) em que seu filho Bronny James poderia entrar na NBA. O astro só esqueceu (ou confia em uma mudança) de uma questão que não permite que um jogador se inscreva no Draft no mesmo ano em que se forma na High School.

Existe atualmente uma regra chamada one-and-done, que força o atleta cursar pelo menos um ano de universidade ou esperar o mesmo período – indo atuar em outra liga – antes de tentar ser selecionado pelas franquias da NBA.


LeBron com o filho Bronny. Foto: Reprodução/Instagram

A discussão que caminhava para o fim desta regra em 2021 não teve o desfecho desejado. Recentemente Adrian Wojnarowski, conceituado repórter da ESPN, afirmou que ‘existe uma possibilidade muito forte de que o assunto não seja retomado até o próximo acordo coletivo de trabalho em 2025’.

A regra que não permite atletas da High School diretamente na NBA surgiu em 2006. Antes disso, o próprio LeBron James se beneficiou, saindo da St. Vincent-St. Mary High School diretamente para o Cleveland Cavaliers, como o número 1 do Draft de 2003. Kobe Bryant (Lower Merion High School) e Kevin Garnett (Farragut Career Academy) também seguiram o mesmo caminho.

Então, há duas possibilidades para LeBron jogar com o filho: a regra one-and-done deixar de existir até lá ou o jogador, que está com 35 anos, atuar por mais de 20 temporadas na NBA.

Tudo o que sabemos sobre:

Lebron JamesNBAbasquete

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.