LNB e Flamengo entram em rota de colisão
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

LNB e Flamengo entram em rota de colisão

Clube rubro-negro ataca dirigentes responsáveis por organizar o NBB, que respondem de maneira forte

Marcius Azevedo

06 de fevereiro de 2015 | 10h38

O basquete brasileiro vive um momento de turbulência.

De um lado, o atual bicampeão do NBB, campeão da Liga das Américas e Mundial, o Flamengo. Do outro, os dirigentes da Liga Nacional de Basquete, responsáveis pela organização do principal torneio do País.

A equipe rubro-negra não engoliu o resultado de W.O. determinado em julgamento no Superior Tribunal de Justiça Desportiva após o adiamento da partida contra o Pinheiros, no dia 25 de novembro do ano passado, por causa da interdição do ginásio do Tijuca Tênis Clube pelo Ministério Público do Rio de Janeiro pela falta de laudos (Corpo de Bombeiros, CREA e Polícia Militar).

O ataque foi iniciado por Alexandre Póvoa, vice-presidente de Esportes Olímpicos do Flamengo, no dia 28 de janeiro, em uma nota oficial. O dirigente lançou questões e cobrou respostas públicas da LNB.

Na última segunda-feira, dia 2 de fevereiro, o clube publicou em seu site outra nota (confira aqui), desta vez com acusações fortes, entre elas que os dirigentes da LNB se recusaram a passar qualquer informação ao Flamengo.

A principal questão, segundo Póvoa, foi a negativa em apresentar os laudos de liberação de todos os ginásios que recebem jogos do NBB. O dirigente também reclamou que Bauru recebeu tratamento diferente do Flamengo quando teve uma partida adiada por causa de goteiras no Panela de Pressão.

Por fim, apesar de enaltecer a contribuição da LNB para o crescimento do basquete nos últimos anos, o dirigente colocou em dúvida a lisura da liga, alegando falta de transparência, e prometendo jogar sob protesto nas partidas fora de casa.

Flamengo jogou na quinta-feira no Ginásio do Tijuca

Flamengo jogou na quinta-feira no Ginásio do Tijuca (Gilvan de Souza/Flamengo)

A resposta da LNB, também em comunicado, publicado na quinta-feira no site da entidade (confira aqui) e enviado por e-mail, foi dura.

Todos os questionamentos do dirigente rubro-negro foram rebatidos veementemente pelos responsáveis pela organização do NBB, inclusive indicando o caminho para que o Flamengo pudesse procurar os seus direitos.

A LNB, claro, tomou todo o cuidado por se tratar do Flamengo. A nota demonstra total desconforto com a situação, mas apenas ataca o comportamento de Alexandre Póvoa no episódio.

Agora é aguardar os próximos capítulos desta história. Quem perde, como sempre, é o basquete brasileiro.

Tudo o que sabemos sobre:

FlamengoLiga Nacional de BasqueteLNBNBB

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.