Miami volta a ser Miami com trio sobrenatural
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Miami volta a ser Miami com trio sobrenatural

Marcius Azevedo

14 de junho de 2013 | 09h04

Qualquer time normal não conseguia reagir. Mas esta equipe do Miami Heat é sobrenatural. O trio LeBron James, Dwyane Wade e Chris Bosh resolveu atuar bem na mesma partida e o resultado não poderia ter sido outro no quarto jogo da final da NBA: vitória por 109 a 93 e empate na série contra o San Antonio Spurs.

Apesar das críticas que LeBron James recebeu após o terceiro jogo, quando o Miami foi humilhado com uma derrota por 36 pontos de diferença (113 a 77), o MVP não conseguiria comandar sozinho uma virada no rumo das finais.

Dwyane Wade teve uma atuação que fez lembrar aquele jogador que foi eleito o melhor das finais em 2006, ano em que conquistou o seu primeiro título.

Mesmo com uma limitação física na perna direita, o armador, que recebeu atenção especial dos fisioterapeutas toda vez que ficava do lado de fora da quadra, anotou 32 pontos, amealhou seis rebotes e distribuiu quatro assistências, além de conseguir seis recuperações de bola e não cometer nenhum desperdício no ataque.

Chris Bosh foi outro que resolveu mostrar que o Miami realmente tem um trio poderoso. O pivô terminou o jogo com um duplo-duplo: 20 pontos e amealhou 13 rebotes. Ele ainda deu dois tocos e conseguiu recuperar duas bolas.

Por fim, o MVP. Sem precisar decidir tudo sozinho, LeBron James pôde atuar com mais tranquilidade, sem forçar os arremessos. O ala anotou 15 de 25 e terminou como cestinha com 33 pontos. Foram ainda 11 rebotes e quatro assistências. Além disso, LeBron ainda deu dois tocos (um deles sensacional sobre Tim Duncan) e obteve duas recuperações de bola.

Confira os melhores momentos da vitória do Miami na quarta partida:

Vale dizer ainda que, além de suas estrelas participarem mais ativamente da partida – fizeram 85 dos 109 pontos -, o Miami entrou em quadra com uma alteração tática: Mike Miller começou como titular no lugar de Udonis Haslem.

A mudança acabou comprometendo o desempenho de Tiago Splitter, que ficou apenas 13 minutos em quadra, já que o técnico Gregg Popovich precisou colocar um jogador mais rápido para acompanhar o ritmo do Miami. O brasileiro fez quatro pontos e pegou três rebotes.

Outro detalhe importante: o armador Tony Parker entrou baleado por causa de uma lesão muscular e, depois de uma atuação exuberante no primeiro tempo, quando anotou 15 pontos, o francês caiu de produção e não pontuou mais. Fez falta.

Manu Ginobili também não foi notado em quadra, anotando apenas cinco pontos. O outro integrante do trio dos Spurs, Tim Duncan, foi o cestinha com 20 pontos. Mas o pivô só entrou no jogo quando levou uma sonora bronca de Popovich.

Agora, o San Antonio Spurs terá de confirmar o mando de quadra no domingo, no quinto jogo da final, novamente no AT&T Center, para tentar ser campeão com uma vitória em Miami, palco dos dois últimos jogos. O Heat, claro, quer virar para 3 a 2 e, quem sabe, ser bicampeão já na sexta partida, na American Airlines Arena.

Wade e Bosh (esq.) resolveram dar uma força para o MVP LeBron James

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.