Montenegrino rasga bandeira da Sérvia e causa revolta
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Montenegrino rasga bandeira da Sérvia e causa revolta

Naturalizado espanhol, Nikola Mirotic se desculpou depois de incidente ocorrido em jogo do EuroBasket

Marcius Azevedo

09 de setembro de 2015 | 07h50

Nikola Mirotic nasceu em Podgorica, capital de Montenegro, se naturalizou espanhol e defende o país na EuroBasket, torneio que classifica duas seleções para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Até aí, tudo bem! O problema foi uma reação exagerada depois da Espanha perder para a Itália por 105 a 98.

Na saída para o vestiário, o jogador, que atuar pelo Chicago Bulls, rasgou uma bandeira que um torcedor colocou no caminho. Mas não era qualquer bandeira. Era uma bandeira da Sérvia.

Sérvia e Montenegro eram um único país até 2006, quando um referendo (55,5% votaram pela separação) determinou que duas repúblicas independentes fossem criadas. Assim, no dia 3 de junho daquele ano, Montenegro se separou da Sérvia.

Confira o vídeo de Nikola Mirotic:

A cena, claro, causou revolta nos sérvios. As redes sociais e os meios de comunicação foram invadidos por um discurso de indignação. A repercussão fez Mirotic utilizar o Twitter para pedir desculpas.

“Lamento profundamente minha reação depois da partida. Não percebi que era uma bandeira, muito menos da Sérvia. Estava olhando para o chão devido à tensão do jogo e eu senti algo no meu rosto. Nunca ofenderia qualquer símbolo”, escreveu o jogador, algumas horas depois do ocorrido.

O incidente, desta vez, não deve ter grandes consequências, mas remete ao passado, quando Sérvia e Montenegro ainda eram parte integrante da Iugoslávia.

Na final do Campeonato Mundial de 1990, após os iugoslavos conquistarem o ouro diante da União Soviética, o sérvio Vlade Divac tomou uma bandeira croata de um torcedor, já que, segundo o pivô explicou pouco depois, era uma conquista esportiva e não um momento político. O croata Drazen Petrovic não entendeu desta maneira. Drazen morreu três anos depois, em um acidente automobilístico, sem nunca mais ter conversado com o amigo.

Mirotic, certamente, sabe que cometeu um erro, mesmo que involuntário, e imagino que nunca mais terá uma reação parecida.

Mirotic em ação pela Espanha diante da Itália (EFE)

Mirotic em ação pela Espanha diante da Itália (EFE)

Tudo o que sabemos sobre:

MontenegroNikola MiroticSérvia

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: