Morre Earl Lloyd, o primeiro negro a jogar na NBA
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Morre Earl Lloyd, o primeiro negro a jogar na NBA

Ala estreou pelo Washington Capitols no dia 31 de maio de 1950

Marcius Azevedo

27 de fevereiro de 2015 | 08h04

O basquete está de luto. Earl Lloyd, primeiro negro a jogar na NBA, morreu na quinta-feira, aos 86 anos.

Selecionado pelo Washington Capitols no draft de 1950, na mesma seleção em que Chuck Cooper se tornou o primeiro negro escolhido na loteria de novatos, indo para o Boston Celtics, e Nat “Sweetwater” Clifton, o primeiro a assinar um contrato na liga, com New York Knicks, o ala estreou no dia 31 de outubro daquele ano. Cooper e Clifton atuaram pela NBA apenas uma semana depois.

Naquela noite histórica, Lloyd registrou uma boa participação na derrota para o Rochester Royals por 78 a 70. Foram seis pontos e 10 rebotes. A boa atuação foi praticamente ignorada pelos jornais no dia seguinte.

O ala jogou apenas sete jogos com os Capitols, antes de ser convocado para o Exército dos Estados Unidos para servir na Guerra da Coreia. No retorno, na temporada de 1952-53, Lloyd foi contratado pelo Syracuse Nationals.

Earl Lloyd em cerimônia do Hall of Fame em 2003 (Reuters)

Earl Lloyd em cerimônia do Hall of Fame em 2003 (Reuters)

Com Syracuse, o ala se destacou e, ao lado de Dolph Schayes, conquistou o título da NBA em 1955. Foram seis temporadas por lá antes de ir para o Detroit Pistons, onde encerrou sua carreira, em 1960.

Na NBA, em nove temporadas, Lloyd registrou médias de 8,4 pontos, 6,4 rebotes e 1,4 assistências em 26,2 minutos por jogo, com 560 aparições na liga.

Lloyd se tornaria ainda o primeiro treinador negro da NBA, na temporada de 1971-72, quando comandou o Detroit Pistons.

Em 2003, o ex-jogador entrou para o Naismith Memorial Basketball Hall of Fame em reconhecimento das suas contribuições para o basquete. “Essa é a maior honra que já foi concedida a mim”, disse, à época.

Tudo o que sabemos sobre:

basqueteEarl LloydNBA

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.