Novato do New York Knicks ‘quer ser tão bom quanto Nowitzki’
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Novato do New York Knicks ‘quer ser tão bom quanto Nowitzki’

Letão Kristaps Porzingis tem o alemão do Dallas Mavericks como seu maior ídolo no basquete

Marcius Azevedo

09 de dezembro de 2015 | 07h00

Nenhum novato tem o início tão surpreendente na NBA quanto Kristaps Porzingis. O gigante de 2,21m nascido na Letônia superou as duras críticas recebidas quando foi escolhido pelo New York Knicks como quarta escolha no draft e agora tem seu nome aclamado por uma das torcidas mais fanáticas da liga norte-americana de basquete. Seu desempenho chama tanta atenção que Dirk Nowitzki, apontado por Porzingis como seu ídolo na NBA, já garante: Ele é uma realidade.

“Ele é muito mais difícil de enfrentar do que todo mundo pensa. É grande, atlético, pode colocar a bola no chão e dar arremessos de longa distância. É uma honra esse rapaz respeitar meu jogo. Lhe desejo sorte, mas acho que o céu é o limite para esse garoto. Não apenas porque ele é bom, mas porque ouvi dizer que ele vive e respira basquete”, disse o alemão, maior cestinha entre os estrangeiros na história da NBA e um dos maiores jogadores da história do Dallas Mavericks.

Apesar das comparações com Nowitzki parecerem um pouco duras para um jogador em primeiro ano na liga, Porzingis não tem feito feio. Ele tem médias de 14,9 pontos e quase 9 rebotes por jogo e é um dos pilares dos Knicks, que em 2014-2015 fizeram a sua pior campanha na história, e na atual temporada estão na briga por um lugar nos playoffs na Conferência Leste.

Kristaps Porzingis enfrenta o ídolo Dirk Nowitzki (AP)

Kristaps Porzingis enfrenta o ídolo Dirk Nowitzki (AP)

No primeiro encontro do letão com o ídolo, na noite da última segunda-feira, ele saiu perdedor, mas anotou 28 pontos, três a mais que Nowitzki e foi o cestinha do jogo. Seu desempenho foi especialmente bom no último período, quando anotou 12 pontos e conduziu a reação de seu time, que chegou a estar perdendo por 23 pontos no terceiro quarto e terminou o jogo apenas sete pontos atrás.

Nas próprias palavras de Nowitzki, seu desempenho foi ‘fantástico’, mas Porzingis quer mais e espera que a equipe não cometa o mesmo erro nos próximos jogos. “Eu acho que não seguimos o plano de jogo como deveríamos. Foi realmente muito tardia a nossa reação, mas nós nunca vamos desistir. Tentamos lutar pela vitória até o último instante”.

Apesar da insatisfação pela derrota, Porzingis não escondeu a satisfação em se encontrar com seu ídolo em uma quadra de basquete pela primeira vez. “Foi muito divertido. Eu pude ver porque ele é Dirk Nowitzki. Ele não é o mais atleta, ele não é o mais rápido, mas mesmo assim sempre arruma espaço para arremessar. Ele é muito esperto. Quando você só assiste Dirk jogar, se surpreende como ele engana os marcadores. Ele pode estar andando em quadra, e de repente a bola chega nele e ele faz a cesta. Esse tipo de coisa você adquire conforme vai ficando mais experiente, mas isso é algo que eu posso aprender com ele.”

Depois do jogo, os dois se encontraram e puderam trocar poucas palavras. Mas o “continue trabalhando e tenha foco” vindo de Dirk Nowitzki já foi o suficiente para Kristaps Porzingis vislumbrar ser, no futuro, tão brilhante na NBA quanto o seu ídolo: “Ele teve total respeito por mim. Isso só me mostrou que talvez eu tenha potencial para ser tão bom quanto ele algum dia. Eu tenho que continuar trabalhando e possivelmente eu serei tão bom quanto ele acha que eu posso ser.”

*Colaboração para o blog de Felippe Scozzafave

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.