Ouro no Pan, Aline Moura espera voltar o mais rápido possível após contusão
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Ouro no Pan, Aline Moura espera voltar o mais rápido possível após contusão

Pivô da seleção e do Sesi faz trabalho pré-operatório após lesionar o joelho em Lima

Marcius Azevedo

04 de setembro de 2019 | 20h34

Medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos de Lima, Aline Moura espera voltar o mais rápido ao basquete. A pivô do Sesi/Araraquara sofreu uma lesão no joelho direito que comprometeu o ligamento cruzado anterior (LCA) e o menisco lateral, ainda na primeira partida, contra o Canadá.

Ela tem realizado um trabalho pré-operatório e de condicionamento físico com os fisioterapeutas André Krüger, Igor Zuchini e Matheus Guedes no Instituto Mood, em Campinas, para logo ter uma nova chance na seleção com o técnico José Neto. Por causa da lesão, Aline ficou fora da convocação da Copa América, que acontece entre os dias 22 e 29 de setembro, em San Juan, Porto Rico.


Aline Moura com Meli Gretter no Instituto Mood, em Campinas. Foto: Alison Negrinho

“Fiquei triste por ter machucado, mas me senti parte do time o tempo todo. As meninas me acolheram muito bem, sempre me mantinham presente e, mesmo não podendo jogar, eu sentia que estava ali dentro da quadra em alguns momentos. Vai demorar um pouco para voltar, mas agora é operar o quanto antes para depois retornar. Acredito que ainda vão uns sete meses”, afirmou.

“Foi uma experiência incrível. Era minha primeira vez na seleção adulta e já consegui sair com uma medalha de ouro. Isso significa muito”, completou.

A recuperação, segundo André Krüger, está dentro do esperado. “Ela está fazendo um trabalho pré-operatório com controle de força e mobilidade, em que ela tende a perder o mínimo possível para ir melhor no pós-operatório. A Aline já apresentou boa evolução dentro de alguns critérios de avaliação e isso vai ajudar muito no pós-operatório.”

 

No Instituto Mood, Aline tem como companhia Meli Gretter, argentina que atua no Vera Cruz e também conquistou medalha em Lima. A jogadora foi prata no basquete 3×3, sendo derrota pelos Estados Unidos na final. Ela sofreu uma fratura no quinto metacarpo da mão direita e foi operada.

“Muito ruim ficar fora. Ninguém quer machucar, sinto falta de jogar, mas faz parte do esporte, agora é reabilitar e voltar o quanto antes, mas sempre pensando em voltar 100%, sem antecipar os passos”, afirmou Gretter, que foi desfalque do Vera Cruz na final da Liga de Basquete Feminino. O Sampaio Correa ficou com o título.

As duas procuram se ajudar, já que utilizando o mesmo espaço. “Uma dá apoio para a outra. Ela me ajuda no que pode e eu a ajudo no que posso”, afirma Aline. “Estamos tratando para recuperar o mais rápido possível”, completa Gretter.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.