Phil Jackson abre mão de temporada para ter um futuro melhor
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Phil Jackson abre mão de temporada para ter um futuro melhor

Pior time da NBA, New York Knicks passa por um processo de reconstrução para viver dias melhores

Marcius Azevedo

09 de janeiro de 2015 | 10h32

Quando o lendário Phil Jackson assumiu o cargo de presidente-executivo do New York Knicks em março do ano passado ninguém imaginou que o trabalho de reconstrução da franquia seria fácil.

O ex-treinador tinha como missão transformar uma equipe que nem sequer havia conseguido se classificar para os playoffs em vencedora. A realidade foi ainda mais dura. Os Knicks são o pior time da liga, com cinco vitórias e 34 derrotas.

O velho Phil decidiu, então, abrir mão do restante da temporada 2014-2015 e agora trabalha para ter dias melhores no calendário 2015-2016.

O primeiro passo foi fechar uma troca para se livrar de Iman Shumpert e JR Smith e ganhar US$ 7 milhões de teto salarial para investir no mercado. Não à toa, Louis Amundson, Lance Thomas e Alex Kirk, que vieram na negociação com Cleveland Cavaliers e Oklahoma City Thunder, foram dispensados na sequência.

Neste bolo, o dirigente liberou também o veterano pivô Samuel Dalembert, que tinha um contrato de US$ 1,8 milhão.

Torcedores dos Knicks protestam durante jogo contra o Houston (AFP)

Torcedores dos Knicks protestam durante jogo contra o Houston (AFP)

Na próxima temporada, os Knicks vão ter ainda outros US$ 23,4 milhões que estão sendo desperdiçados com Amare Stoudemire. A relação custo e benefício do pivô, dono do segundo maior salário da NBA, é desfavorável há anos.

Com isso, Phil terá uma boa margem para negociar com agentes livres na próxima janela. Alguns bons nomes vão estar disponíveis no mercado, entre eles LaMarcus Aldridge, Marc Gasol e Jimmy Butler, este último restrito, com possibilidade de o Chicago Bulls cobrir uma oferta.

Há ainda o efeito imediato.

O técnico Derek Fisher terá oportunidade de utilizar o restante desta temporada para desenvolver jogadores que tem potencial para ajudar no futuro, como Tim Hardaway Jr., e dar mais minutos em quadra para os novatos, como Cleanthony Early e Travis Wear. Além disso será possível avaliar opções, como Langston Galloway, de 23 anos, que estava na D’League (Liga de Desenvolvimento) e foi adicionado ao elenco dos Knicks recentemente.

A campanha ruim, que caminha para ser a pior da liga, também significa uma chance maior de conseguir uma escolha alta no draft, a loteria dos novatos. Jahlil Okafor, de Duke, e Emmanuel Mudiay, do Congo, e que recentemente passou pelo basquete chinês, são alguns dos nomes que estão sendo observados pela franquia.

Enquanto Phil trabalha para ter uma temporada melhor em 2015-2016, o torcedor vai continuar passando vergonha com o atual time, como foi na noite de quinta-feira, contra o Houston Rockets, na 14ª derrota consecutiva.

A estrela da franquia, Carmelo Anthony, também terá de ter muita paciência para superar o momento de transição (e turbulência) dos Knicks.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.