Por correspondência, Pinheiros ‘demite’ equipe inteira adulta de basquete
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Por correspondência, Pinheiros ‘demite’ equipe inteira adulta de basquete

Nove jogadores que formavam o time que disputava o NBB foram avisados para se apresentarem para o exame médico demissional; clube culpa crise para antecipar reformulação

Marcius Azevedo

16 de abril de 2020 | 11h56

O Pinheiros dissolveu sua equipe adulta de basquete. Os jogadores com contratos profissionais receberam uma carta do clube na quarta-feira, 15 de abril, informando da decisão de não renovar o vínculo contratual que iria até 15 de maio.

No documento, o Pinheiros informa que não “tem intenção de formalizar uma proposta para sua renovação quando do seu vencimento… ficando dispensado desde já” do trabalho. Com isso, nove atletas (Bennett, Isaac, Toledo, Dawkins, Betinho, Caio Torres, Lucas Cauê, Danilo Sena e Ware) foram dispensados pela equipe. Por causa de uma pendência jurídica com o clube, Scaglia continua.


Nove jogadores foram dispensados pelo Pinheiros. FOTO: Ricardo Bufolin/Pinheiros

O clube solicitou ainda que os atletas se apresentem na sede do Pinheiros, dia 29 de abril, às 9h, com sua carteira de trabalho, para realização do exame médico demissional e “dar andamento nas formalidades exigidas na rescisão de contrato.”

A comissão técnica, capitaneada pelo técnico Cesar Guidetti, atual auxiliar de Aleksandar Petrovic da seleção brasileira masculina, por enquanto, foi preservada. Os jogadores das categorias de base que atuam pelo profissional para completar o número de 12 atletas nas partidas continuam no clube, já que o contrato é diferente dos atletas profissionais.

A postura da diretoria do Pinheiros surpreendeu alguns dos jogadores, que aguardavam para voltar ao trabalho em meio à pandemia do novo coronavírus. A possibilidade de dispensa não havia sido cogitada em nenhum momento neste período de paralisação do Novo Basquete Brasil (NBB).

Em nota, o clube informou que tomou esta decisão motivada pelas dificuldades em captar recursos para renovação dos vínculos, algo que seria necessário por causa da interrupção do torneio. “Nós, como diretores, antes mesmo da pandemia, já estávamos com campanhas de captação de patrocinadores para o esporte de alto rendimento. Entretanto, com a pandemia instalada no País, a intenção de patrocinadores para investir nos times do ECP diminuiu.”

“Para reformular o time em um panorama em que a própria LNB (Liga Nacional de Basquete) não decidiu se o campeonato será concluído comunicamos nesta semana a rescisão do contrato dos atletas antecipadamente”, acrescentou. “Vamos cumprir com as obrigações dos contratos. E optamos por comunicar um mês antes para que (os atletas) possam se organizar e pleitear novos clubes.”

O torneio foi interrompido em 15 de março. A situação da disseminação do vírus que deve atingir o pico em maio ou junho no Brasil impede uma decisão definitiva sobre o retorno do NBB. A LNB tem se reunido semanalmente para atualizações. O Pinheiros, por enquanto, não desistiu oficialmente da competição. Apenas Bauru já abriu mão de disputar os playoffs se o torneio for retomado.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: