Programa NBA Basketball School amplia conteúdos e se fortalece na pandemia
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Programa NBA Basketball School amplia conteúdos e se fortalece na pandemia

Crianças e jovens não conseguem entrar em quadra, mas continuam em atividade

Marcius Azevedo

24 de junho de 2020 | 09h00

A pandemia do novo coronavírus afetou diretamente o basquete, com o fim prematuro do Novo Basquete Brasil (NBB) e da Liga de Basquete Feminino (LBF), e paralisou diversos projetos. O programa NBA Basketball School soube dar uma resposta positiva e, apesar de não ter mais crianças e jovens em quadra, conseguiu se manter ativo.

A Think Sports, agência responsável pela implantação e supervisão do NBA Basketball School no Brasil, traçou um plano estratégico emergencial, baseado em novos conteúdos e em mudanças nas atividades, para se fortalecer. As atividades em quadra estão suspensas há três meses, sem que houvesse cobrança de mensalidades nesse período.


Live da NBA Basketball School com Ashley Battle, ex-jogadora da WNBA

O NBS está promovendo, entre outras iniciativas, aulas virtuais semanais com mais de 300 alunos, com participação de professores/instrutores e ex-jogadores profissionais. O armador Raulzinho, do Philadelphia 76ers, por exemplo, fez uma surpresa para crianças e jovens ao aparecer na Live.

Foram lançando novos conteúdos, adaptando a rotina das quadras para situações e exercícios que possam ser feitos em casa. Muitos deles, em família.

“Diante do cenário que se apresentou, de isolamento social, suspendemos as aulas, seguindo as recomendações das autoridades de saúde, e conseguimos agir rápido para não parar com as atividades. A comunicação foi fundamental para que estivéssemos todos bem alinhados, Think e unidades, o que nos permitiu alcançar resultados tão expressivos nas aulas e dinâmicas à distância”, explicou Arthur Borelli, CEO da Think Sports.

“Com o conteúdo online, conseguimos criar uma interação em toda a rede que não tínhamos ainda, e o engajamento de professores e alunos vem sendo espetacular. Oferecer a melhor experiência à crianças e jovens do NBA Basketball School não exige estarmos dentro das quadras. O NBS vai além das quatro linhas e, agora, estamos potencializando isso”, completou.

O NBS realizou torneio de videogame, desafios usando o app HomeCourt, palestras com profissionais da saúde (psicologia, neurociência, nutrição…) para alunos, familiares e professores, capacitação à distância dentro do ‘Train The Trainer’ para as dezenas de técnico/instrutores, com participação de profissionais da NBA, como Fernando Nandes (técnico especialista em neurociência do movimento do Utah Jazz) e Felipe Eichenberger (preparador físico do Denver Nuggets). A psicóloga do Comitê Olímpico do Brasil (COB), Sâmia Hallage, também deu palestra, no Dia das Mães.

“Também não falamos apenas de basquete. É preciso dar um tom mais divertido, falar de temas leves, de reforçar valores e pensar no bem-estar, são pilares que podem e devem ser mantidos também em casa”, finalizou Arthur Borelli.

Tudo o que sabemos sobre:

basqueteNBANBA Basketball School

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: