As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Restou o basquete chinês para McGrady

Marcius Azevedo

10 de outubro de 2012 | 17h21

As portas foram fechadas para Tracy McGrady na NBA.

Agente livre, o ala não encontrou nenhuma equipe que quisesse arriscar em contratá-lo depois de uma temporada pouco produtiva com o Atlanta Hawks. O jeito foi expandir os horizontes.

Pelo Facebook, nesta quarta-feira, McGrady, que foi duas vezes cestinha da NBA e tem sete escolhas de All-Star Game no currículo, confirmou que vai atuar pelo Qingdao Eagles, equipe da liga chinesa de basquete, na próxima temporada.

O jogador escreveu que estava feliz pela situação, afirmou que amava o país asiático e que será um prazer jogar para os chineses.

Um discurso politicamente correto!!! Mas vamos ser realistas. O basquete chinês é o que sobrou para o ala de 33 anos, um fenômeno em boa parte da carreira, mas que nos últimos anos sofreu para ficar em quadra devido aos problemas de lesão e aceitou ser apenas mais um no banco de reservas.

McGrady, pelo menos, poderá recuperar na China o rótulo de estrela. Ele é conhecido por lá. Os chineses puderam vê-lo jogar ao lado de Yao Ming no Houston Rockets por seis temporadas…

Eu confesso que fico um pouco triste com esta situação. Era fã de suas enterradas espetaculares. Quem não lembra de suas disputas com o seu primo Vince Carter?

Às vezes, o fim da carreira não é o que o jogador imagina. McGrady, pelo menos, vai continuar sendo bem pago para fazer o que mais gosta, que é jogar basquete.

Confira vídeo da parceria e da disputa entre Tracy McGrady e Vince Carter: