São Paulo negocia com São José para ter time de basquete
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

São Paulo negocia com São José para ter time de basquete

Secretário de esportes de São José dos Campos está enviando informações para os dirigentes do Tricolor, que avaliam possibilidade de acordo

Marcius Azevedo

09 de junho de 2015 | 15h46

O secretário de esportes de São José dos Campos, José Luís Nunes, conversa com o São Paulo para fazer uma parceria e salvar o basquete da cidade. A equipe está ameaçada de encerrar atividades por causa do alto investimento (R$ 5 milhões) para mantê-la.

As tratativas ainda estão no início, mas Nunes está otimista. Em entrevista exclusiva ao blog, o secretário explicou que está enviando informações detalhadas ao São Paulo, que incluem desde o modelo de gestão, retorno de mídia e até comissão técnica e elenco.

“Estamos fornecendo tudo que foi pedido pelo São Paulo. O clube tem uma estratégia muito bem definida de ampliar sua marca além do futebol, investir em esportes olímpicos e seria ótimo uma parceria neste momento”, afirmou Nunes.

O clube do Morumbi, que recentemente entrou no vôlei ao fechar um acordo com Taubaté, deve oferecer o aporte financeiro para manutenção do São José Basketball. “É um momento economicamente bem difícil, não temos como arcar sozinhos com os custos do time. Estamos traçando um plano de negócio com o São Paulo”, explicou o secretário.

Caio Torres (dir.) é o jogador com o salário mais alto em São José

Caio Torres (dir.) é o jogador com o salário mais alto em São José


As negociações estão sendo conduzidas por Marcelo Pepe dos Santos, diretor comercial do São Paulo. “O São Paulo é muito organizado, tem uma estratégia muito bem definida e isso é importante. Sabemos da grandeza do clube, o que uma parceria pode significar”, disse Nunes. “Estamos construindo um caminho, espero que dê certo”, completou.

O secretário revelou ainda que conversou com o presidente do Palmeiras, Paulo Nobre, mas foi rechaçada qualquer possibilidade de parceria. “O Paulo falou muito do futebol, da gestão que está sendo feita no clube e não há investimento nos esportes olímpicos.”

Até por causa disso, o Palmeiras corre risco de não disputar a próxima edição do NBB. A Meltex não renovou o contrato de patrocínio ao final da temporada.

Para não ocorrer o mesmo com São José, o secretário de esportes tem procurado empresários que possam investir se o acordo com o São Paulo não vingar. “Queremos uma gestão compartilhada, alguém para dividir direitos e deveres.”

Nunes revelou inclusive que liberou comissão técnica e jogadores para procurarem clubes caso não queiram esperar pelo acordo que possa salvar o basquete de São José. “Estou sendo bastante transparente com todos, o Município não tem condições de manter o investimento sozinho.”

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.