Sem Durant, EUA ficam no mesmo nível da Espanha
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Sem Durant, EUA ficam no mesmo nível da Espanha

Grupo de Coach K continua muito forte, mas, para ser campeão mundial, terá de ter muita transpiração

Marcius Azevedo

08 de agosto de 2014 | 09h48

Os Estados Unidos perderam o status de maior favorito ao título mundial. A desistência (surpreendente, diga-se) de Kevin Durant em disputar o torneio na Espanha fez o time do técnico Mike Krzyzewski descer um degrau e ficar, por exemplo, no mesmo nível dos anfitriões.

Com o grupo que tem à disposição, Coach K tem totais condições de ser campeão, mas será necessária muita transpiração para alcançar esta conquista.

Os norte-americanos continuam com um timaço, não há dúvida. Derrick Rose, James Harden, Stephen Curry, Kyrie Irving, etc… O problema foi perder sua referência. Durant era o astro do time, o líder e, em nenhum momento no período de preparação, acenou que poderia abandonar o barco.

O presidente do USA Basketball Team, Jerry Colangelo, foi elegante, como se esperava, ao comentar o pedido de dispensa do ala do Oklahoma City Thunder, mas, obviamente, foi surpreendido pela decisão.

Após período de treinos, Durant pediu dispensa

Durant alegou que não estaria 100% focado em defender os Estados Unidos no Mundial, que necessitava de um descanso físico e mental para voltar pronto para mais uma exaustiva temporada da NBA.

Justificativa mais do que justa. A última temporada, realmente, foi complicada para o ala. A imprensa norte-americana não liga o pedido de dispensa de Durant à fratura sofrida por Paul George, em um jogo-treino da seleção norte-americana e que vai afastá-lo por 18 meses, mas é de se desconfiar, já que o fato surgiu poucos dias depois do ocorrido.

A verdade é que sem Durant, os Estados Unidos perdem um jogador que, em momentos de apuro, pode acalmar o time e principalmente decidir em dois, três ataques uma partida equilibrada.

Coach K terá muito trabalho para remontar sua equipe, já que perdeu dois titulares em uma semana. George também estaria na formação inicial. Rudy Gay foi convocado para o lugar de Durant e são novamente 16 jogadores para 12 vagas.

Sem Durant e outros astros, como LeBron James, Carmelo Anthony, Chris Paul, Kevin Love, Blake Griffin, Russell Westbrook…, os Estados Unidos terão de jogar ainda mais para não ver o título, antes uma questão de entrar em quadra, ir para nas mãos da Espanha.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.