As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Senegal está dentro, mas China e Rússia vão pular fora

Marcius Azevedo

31 de janeiro de 2014 | 12h33

O milagre desejado por Sérigne Mboup, presidente do Comitê Nacional de Basquete do Senegal, aconteceu e o país africano foi confirmado oficialmente pela Fiba para o Mundial da Espanha.

A saída da seleção senegalesa da competição era dada quase como certa por causa de uma dívida astronômica com a Fiba (eram 310 milhões de francos suíços), mas tudo foi acertado nesta sexta-feira. Com isso, o número de convites voltou novamente para quatro.

A decisão surpreendeu aos outros países que participam do processo, mas, mesmo assim, o Brasil não viu suas chances diminuírem.

O blog apurou que China e Rússia, que estavam entre os favoritos para receberem os convites, vão abrir mão de pleitear uma vaga. Itália e Alemanha haviam feito o mesmo.

Desta forma, é quase impossível o Brasil não ser agraciado com o convite. Grécia e Turquia completam o grupo de favoritos.

O presidente da Confederação Brasileira de Basquete, Carlos Nunes, não confirma que acertou em reunião na Espanha o pagamento da doação exigida pela Fiba ao país que receber o convite.

A informação nos bastidores, porém, é outra. O Brasil já adiantou parte do pagamento e o restante seria quitado até 2015.

O anúncio oficial será neste sábado, na Espanha. Se o Brasil for confirmado no Mundial, o técnico Rubén Magnano viaja para acompanhar o sorteio dos grupos, programado para segunda-feira.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: