‘Temos de mudar o padrão ofensivo que eles estão acostumados’, diz Jimmy, do Paulistano, para série com o Flamengo
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

‘Temos de mudar o padrão ofensivo que eles estão acostumados’, diz Jimmy, do Paulistano, para série com o Flamengo

Equipes iniciam na segunda-feira disputa por uma vaga na final do NBB

Marcius Azevedo

07 de maio de 2021 | 15h51

Melhor equipe da fase regular do Novo Basquete Brasil e campeão da Champions League Américas. O Flamengo representa um enorme desafio para Paulistano na série semifinal que começam nesta segunda-feira, no Maracanãzinho. Em sua 13ª temporada de NBB, Jimmy reconhece o favoritismo do rival na melhor de cinco, mas indica o caminho para tentar superá-lo.

Em entrevista ao blog, o ala de 30 anos afirma que é necessário tirar o Flamengo da zona de conforto no ataque. Peça importante no elenco do técnico Regis Marrelli, Jimmy registra médias de 8,5 pontos, 3 rebotes e 1,5 assistência, em 25 minutos em quadra, e vai para sua sexta semifinal de NBB.


Jimmy em ação pelo Paulistano no NBB. Foto: Mari Sá / LNB

Uma pergunta fácil para começar: como parar o Flamengo?
Penso que a melhor opção é mudar o padrão ofensivo que eles estão acostumados a jogar, e tentar reduzir o volume de pontos tentados.

O fato de entrar na série sem o peso de ser o favorito é um ponto positivo?
Teoricamente temos menos pressão, porém dentro da quadra o basquete se resume a 5×5, então vamos focar em fazer o nosso trabalho bem feito.

Muda alguma coisa jogar uma série inteira no Rio, mesmo sem torcida?
Muda sim, mas por conta de uma temporada atípica (pandemia),entendemos que é mais seguro ter uma fase em local único, e também nada mais justo do que o time com melhor classificação jogar em seus domínios.

Qual o peso do trabalho do Regis Marrelli na campanha do Paulistano até aqui?
Peso muito grande, com o trabalho diário ele conseguiu formar uma equipe onde a grande qualidade é o jogo coletivo.

Além do trabalho em quadra, vejo que o Regis sabe também montar o elenco, algo que é muito importante quanto o investimento é inferior ao dos rivais. Como avalia este aspecto?
A montagem da equipe foi muito importante, pois ele soube montar um elenco com a cara do Paulistano, que se resume em trabalho forte e união.

Como avalia sua primeira temporada no Paulistano?
Acho que está sendo uma excelente temporada, estive saudável durante todo o período de jogos, e estou indo para a minha sexta semifinal do NBB. Outro ponto chave foi estar em uma equipe onde pude aprender e passar experiência aos mais jovens.

Com este momento complicado (pior até aqui) da pandemia no Brasil, os jogadores realmente se sentem seguros?
Sim, estamos seguros, os protocolos elaborados pela liga estão sendo seguidos com testes em todas as fases. Sabemos que é um momento complicado, mas a logística de sedes está sendo muito importante para o controle.

O formato do NBB com etapas sediadas era o melhor que poderia ter sido feito?
Sim, para o atual cenário foi a melhor opção.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.