Temporada da NBA desafia favoritismo do Cleveland
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Temporada da NBA desafia favoritismo do Cleveland

No centro das atenções por causa do retorno de LeBron James, o time de Ohio pinta como principal candidato ao título, mas equilíbrio promete ser o maior dos últimos anos na liga norte-americana

Marcius Azevedo

27 de outubro de 2014 | 11h09

A temporada 2014-2015 da NBA começa nesta terça-feira com LeBron James novamente sob os holofotes. Depois de quatro anos com o Miami Heat, o astro voltou para o Cleveland Cavaliers para terminar uma história que foi interrompida de maneira abrupta.

No dia 8 de julho de 2010, ao vivo em um programa da ESPN intitulado “A decisão”, o jogador, então com 25 anos, revelou que estava trocando o time de Ohio pela franquia da Flórida.

O anúncio foi o estopim para uma revolta, com os torcedores dos Cavs queimando camisas e danificando um enorme outdoor com uma foto de LeBron James na cidade. O presidente do Cleveland, Dan Gilbert, também detonou o astro em carta, dizendo, entre muitas coisas, que o time ganharia um título antes do jogador.

Ao lado de Dwayne Wade e Chris Bosh, LeBron foi mais feliz em Miami. Disputou quatro finais consecutivas e conquistou dois títulos.

Mas, após perder na final da temporada passada para o San Antonio Spurs, ele decidiu que era hora de voltar para se redimir. O astro não engoliu tudo disseram sobre ele neste período e, no dia 11 de julho de 2014, anunciou pela revista Sports Illustrated o retorno ao time que o escolheu na primeira posição do draft de 2003.

E LeBron não entra em uma discussão para perder. Após o acerto, o astro teve participação ativa na montagem de um elenco fortíssimo.

Love, LeBron e Irving, o novo “Big Three” da NBA

O principal movimento no mercado foi a aquisição de Kevin Love, então estrela do Minnesota Timberwolves. Para tanto, o Cleveland abriu mão das duas últimas primeiras escolhas do draft: os canadenses Andrew Wiggins e Anthony Bennett.

Com LeBron e Love, o armador Kyrie Irving aceitou renovar por cinco anos, pelo valor de US$ 90 milhões, o máximo permitido pela liga norte-americana, e formar o novo “Big Three” da NBA.

A equipe de Ohio conta ainda com o brasileiro Anderson Varejão e o imprevisível Dion Waiters no quinteto titular do técnico estreante David Blatt. No banco estão os experientes e campeões da NBA, Shawn Marion e Mike Miller, outros dois que foram recrutados por LeBron James.

O Cleveland agora terá de confirmar o favoritismo dentro de quadra. A missão não será nada fácil. A temporada promete ser bastante equilibrada.

Pelo lado da Conferência Leste, além dos Cavs, Chicago Bulls, agora com Pau Gasol, e Miami Heat, mesmo sem LeBron e com Luol Deng, prometem fazer barulho. No Oeste, o atual campeão, San Antonio Spurs, lidera uma lista de favoritos que tem Oklahoma City Thunder, Dallas Mavericks, Houston Rockets, Portland Trail Blazers, Golden State Warriors e Los Angeles Clippers.

Outro atrativo da temporada será Kobe Bryant. Aos 36 anos, o ala demonstrou na pré-temporada que está totalmente recuperado dos problemas de lesão e que continua faminto. O Los Angeles Lakers, que não terá Steve Nash, lesionado, não pinta como favorito, mas pode surpreender se o time encontrar uma certa química no trio Kobe/Jeremy Lin/Carlos Boozer.

A bola vai subir para o início de mais uma temporada da NBA. E esta promete ser a mais interessante dos últimos anos.

Kobe está bastante motivado para a temporada

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: