Van Gundy estava certo em dispensar Josh Smith
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Van Gundy estava certo em dispensar Josh Smith

Detroit Pistons venceu os seis jogos depois da saída do ala, que agora está no Houston Rockets

Marcius Azevedo

07 de janeiro de 2015 | 07h58

O técnico do Detroit Pistons, Stan Van Gundy, que é também o presidente de operações da franquia, foi chamado de louco – entre outras coisas – por dispensar Josh Smith pouco antes do Natal.

O contrato do jogador era de US$ 40 milhões e terá de ser honrado, pelas regras da NBA, mesmo depois de ele acertar com o Houston Rockets.

Em um primeiro momento, não há dúvida de que no aspecto financeiro tudo foi um desastre. Smith vai receber US$ 5,4 milhões por ano dos Pistons até 2020, embora o valor possa diminuir (não muito) se ele assinar com uma nova equipe por uma quantia acima do salário mínimo da liga.

A saída de Smith, de imediato, abre uma margem de manobra de US$ 8 milhões na folha salarial do Detroit para 2015.

Mas Stan Van Gundy não tomou sua decisão baseado apenas no dinheiro. A dispensa do ala foi mais esportiva do que qualquer outra coisa. Smith estava fazendo mal ao time, assim como ocorreu na passagem pelo Atlanta Hawks.

Smith é o popular fominha. A bola parava no ataque sempre que chegava em sua mãos. Claro que, muitas vezes, ele buscava uma assistência, mas, na maioria das vezes, era um “pombo sem asa” na direção da cesta.

Detroit venceu seis consecutivas após saída de Josh Smith

Detroit venceu seis consecutivas após saída de Josh Smith

“Ele tentou a maioria dos arremessos, é um jogador que dá muitas assistências, ele fica com a bola em suas mãos muito tempo e nós teríamos de reduzir seu papel ofensivamente”, explicou Stan Van Gundy

Sem um centralizador ofensivo, o treinador colocou em prática o plano de dar mais atribuições para outros atletas. Fora que, na defesa, não ter o preguiçoso Smith foi um ganho sem tamanho.

O resultado foi espantoso. Os Pistons se tornaram um time mais organizado e venceram os seis jogos depois da saída do ala – haviam sido apenas cinco até então na temporada.

A sequência começou contra o Indiana Pacers, com uma vitória por 119 a 109. Depois disso, o Detroit passou por Cleveland Cavaliers (103 a 80), Orlando Magic (109 a 86), New York Knicks (97 a 81), Sacramento Kings (114 a 95) e, por fim, bateu o atual campeão, San Antonio Spurs, por 105 a 104 na noite de terça-feira.

Os Pistons, com certeza, não irão mais longe do que o Houston, de Smith, nesta temporada, mas a saída do jogador, de fato, foi o melhor que poderia ter acontecido para o futuro da franquia.

Tudo o que sabemos sobre:

basqueteDetroit PistonsJosh SmithNBA

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.