As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Botafogo, enfim campeão!

Pela segunda vez na Série B em sua história, o clube da Estrela Solitária, desta vez, venceu o torneio e teve na figura de Arão um de seus principais jogadores na competição.

Maurício Capela

21 de novembro de 2015 | 11h34

A estrela brilhou! Da última vez na Série B do Campeonato Brasileiro, a história havia sido outra. O Botafogo não conseguiu o título, mas conseguiu o retorno em 2003. Agora, não! Agora, o retorno veio há duas rodadas e o título neste fim de semana, na vitória sobre o ABC por 2 a 1.

Os números do time dirigido por Ricardo Gomes demonstram claramente, inclusive, que o título ficou em bons pés. O Botafogo foi o time que mais venceu até o momento, 21 vezes. O que menos perdeu também, em oito oportunidades. Soma o melhor ataque do torneio e a melhor defesa.

Então, é preciso celebrar o momento, é verdade. Mas também demanda-se olhar para frente. Muito trabalho terá o Botafogo em 2016. A reestruturação de seu elenco é urgente. Muitos da conquista da Série B provavelmente não ficarão para o ano que vem. Alguns porque receberão propostas, outros porque não apresentam condição para um campeonato disputado como é o da primeira divisão nacional.

O primeiro passo, no entanto, já foi dado… A permanência de Ricardo Gomes aponta na direção de um acerto. É um técnico com filosofia de jogo. Seu time varia entre um “4-2-3-1” e um “4-1-4-1”. Por vezes também, experimenta jogar com dois atacantes de ofício lá na frente.

Muito embora o esquema seja contemporâneo, ao Botafogo recomenda-se juízo e cautela. O mercado de jogadores é disputado e é natural que apresente alguma dificuldade na hora de assinar o cheque.

A única certeza ao Botafogo é que fuja desesperadamente de fórmulas mágicas e contratações midiáticas. O clube recentemente teve esse tipo de experiência e o resultado foi uma dívida nababesca, além de uma Série B no curriculum.

Jefferson deveria ficar. O clube deveria lutar para que ele permaneça. Talvez esteja aí o maior desafio. Jefferson é a cara do Botafogo.

Lindoso, Navarro e Neílton são jogadores que merecem ser melhor observados. Luís Ricardo também. Mas o destaque desse time foi Arão.

Marcador com mobilidade, jogador que chega à frente, Arão fez uma Série B digna de nota. Deverá figurar na seleção do torneio, certamente.

Nele, reside boa parte da mobilidade que Gomes implementou no Botafogo ao longo da Série B.

Mas o momento é de regojizo. Pelo menos neste fim de semana! Depois, na segunda-feira, convém um papo para desenhar um Botafogo que seja capaz de repetir o feito na Série A, um campeonato que o clube já venceu por duas vezes.

Tudo o que sabemos sobre:

BotafogoJeffersonRicardo Gomes

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.