As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Botafogo está perto do acesso na Série B

Com o melhor ataque e a melhor defesa da competição, o Botafogo já construiu uma vantagem de 10 pontos em direção ao quinto colocado e talvez precise de apenas mais uma dezena de pontos para desembarcar na Série A.

Maurício Capela

29 de setembro de 2015 | 15h23

Nove! Nove rodadas para o fim da Série B do Campeonato Brasileiro. Mas para o Botafogo de Futebol e Regatas a conta talvez seja menor. Bem menor!

Líder do campeonato, dez pontos à frente do quinto colocado, o América Mineiro, o clube da Estrela Solitária já pode tirar a calculadora do bolso. Em outras palavras, talvez mais dez pontos nos 27 possíveis já cumpram a missão. A missão de recolocar o Botafogo na elite do futebol brasileiro.

No entanto, mesmo ostentando o melhor ataque e a melhor defesa do certame, os dias do Botafogo estão longe de serem confortáveis na segunda divisão. Troca de técnicos, derrotas em casa, aposta nos garotos, enfim, um roteiro próprio da Série B, principalmente quando o ator principal é um dos grandes clubes do País.

Mas ainda que a conta lhe seja favorável. Ainda que três ou quatro rodadas mais resolvam a vida do Botafogo na Série B, uma reflexão cairia bem ao clube, a quem comanda os destinos do clube.

O Botafogo despencou, sem escalas, em direção a uma divisão inferior um ano após disputar a Copa Libertadores de América. Uma queda desse nível deve ser entendida, absorvida e deixar lá algum aprendizado.

 

Seria interessante ao Botafogo, por exemplo, não repetir em 2016 a fórmula usada em 2015, principalmente a utilizada na Série B. Qual seja? Troca de treinador em meio à competição, reforços desembarcando ao fim do primeiro turno, uso excessivo dos garotos da base e por aí vai…

A conjunção desses fatores, desta vez, funcionou. Mas não significa que irá funcionar toda vez e sempre. Pelo contrário! Constantes mudanças em elenco e comissão técnica costumam justamente produzir o efeito oposto. E exemplos não faltam, inclusive ao próprio Botafogo.

Portanto, além de manter sob controle as questões financeiras, cabe também uma dose de observação no Brasileiro da Série A deste ano. E notar que o nível técnico melhorou, que o público gostou do horário das 11 da manhã e que tem demonstrado fôlego competitivo quem apostou na continuidade da comissão técnica e em elencos enxutos, porém medianamente de bom nível técnico.

Porque afinal de contas nem o líder Corinthians, tampouco o segundo colocado Atlético Mineiro e o terceiro Grêmio fugiram à essa lógica na Série A. Até porque não há clube algum no País com orçamento nababesco à disposição. Então, a falta de recursos para grandes investimentos não deverá mais trazer o Botafogo a nenhuma outra situação desconfortável. A nenhuma Série B!

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: