As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Brasil e futebol, eternos namorados!

Há um ano, o Brasil sediava pela segunda vez uma Copa do Mundo, que colocou o País e a bola em uma "de erre". Desde os sete gols da Alemanha se "discute a relação", cuja conversa só vai ter fim quando os alemães voltarem a jogar contra o Brasil.

Maurício Capela

12 de junho de 2015 | 20h10

Um ano já se foi… Há exatos 12 meses, o Brasil teve novamente a oportunidade de receber uma Copa do Mundo. E a atmosfera logo de cara, logo no início, foi das melhores. E apesar de muita coisa ter sido prometida e sequer ter saído das bonitas pranchetas, o brasileiro deu uma clara demonstração de que o futebol, de fato, é um dos seus grandes amores!

Um relacionamento que tinha tudo para ter azedado. Afinal, o Brasil começou a flertar com o futebol em 1950. E não foi só porque recebeu o Mundial não! Foi porque tinha uma boa equipe, que no final das contas poderia ter ficado com o caneco. Poderia, mas não ficou!

Bem, o resto da história todo mundo já sabe. O Uruguai virou o jogo e faturou a Copa em solo brasileiro.

Mas apesar do revés, a paixão pelo esporte só fez aumentar. O desejo em erguer a taça do mundo fez com que o País tivesse “marechais” e “gênios”. Gênios da bola!

Quando as duas primeiras conquistas desembarcaram em solo verde-amarelo, o País, conta os livros de história, era a terra da bossa nova, da garota de Ipanema, das belezas naturais, dos cinquenta anos em cinco… A inspiração mandava dizer que o charme tropical contagiaria o mundo!

Mas foi o mundo que contagiou o Brasil. E o País perdeu o encanto. Veio a ditadura militar, milagre econômico, seguido por um revés nas finanças e tudo descambou nos trópicos…

Daí para o gramado foi um pulo! Foram 24 anos sem erguer novamente um mundial. Até a Copa dos Estados Unidos, vencida em 1994.

Mas enfim, como todo relacionamento, há altos e baixos, situações ótimas e ruins. Só que tem um porém… Nunca, em momento algum, o brasileiro deu às costas ao futebol, ainda que hoje esteja em meio a uma “de erre”. Sim, ainda “discute a relação”. Uma relação que ficou tumultuada depois daqueles sete gols da Alemanha.

Aliás, já está na hora de colocar um ponto final nesse “bate-boca”. Já passou da hora de enfrentarmos novamente a Alemanha, de preferência na Alemanha! Só assim, brasileiro e futebol voltaram a dividir velhos sonhos, como um hexacampeonato ou uma medalha de ouro olímpica!

Tudo o que sabemos sobre:

AlemanhaBrasilCopa do Mundo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.