As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Cássio, o rival de Jefferson pela titularidade no Brasil

Donos de ótimos fundamentos, principalmente embaixo das traves, e donos dos mesmos "pecados", que se cristalizam na saída de bola, Jefferson e Cássio deverão polarizar a briga pela camisa 1 do Brasil.

Maurício Capela

22 de outubro de 2015 | 14h51

O goleiro Cássio chegou à Seleção Brasileira. Com méritos! Um dos principais jogadores do Corinthians entra campeonato e sai campeonato, o goleiro terá agora a sua grande oportunidade na carreira. Mas terá pela frente fortes competidores.

Mesmo já tendo integrado a Seleção na categoria sub-20, o atual camisa número 12 do Corinthians desembarca em uma equipe que ainda carece de definições. O técnico Dunga ainda não tem convicção sobre boa parte do time, mesmo já tendo um punhado de amistosos e a Copa América na bagagem.

Testar Cássio, portanto, é fundamental. É fundamental, porque Cássio é um dos principais jogadores de sua posição no País. Porque é parte importante desse sistema defensivo do Corinthians, o melhor do Brasileiro desde mais ou menos a metade do primeiro turno da competição nacional.

Mas em que estágio anda Cássio? O titular do gol do Corinthians é um arqueiro com alguma dificuldade para praticar o jogo com os pés, mas costuma crescer frente os atacantes. Sua saída de bola também está longe de ser perfeita, mas embaixo das traves costuma se destacar.

De posse dessa radiografia, Cássio terá pela frente Jefferson do Botafogo, o atual titular.

Jefferson não atravessa o momento mais exuberante de sua carreira, mas ainda assim deve ser mantido na posição. Até porque o goleiro do Botafogo também é bom embaixo das traves, também não costuma ter problemas nas saídas de gol, apesar de apresentar a mesma dificuldade para jogar com os pés.

O diferente desse trio é Alisson do Internacional. Apresenta as mesmas boas qualidades que os outros dois postulantes, mas insinua um jogo com os pés que ainda carece de melhor observação.

O que pesa contra Alisson neste momento é a idade. Jovem, 23 anos, Alisson ainda vai precisar chutar como tiro de meta as ressalvas. Uma estrada que ele ainda vai ter que trilhar campeonato após campeonato.

É justamente pela combinação de todos esses elementos que o desembarque de Cássio é, de fato, a primeira ameaça ao posto que Jefferson ostenta nesta nova era Dunga, a titularidade. E a questão não será técnica, já que todos ali são bons goleiros. A questão é emocional. Um ponto sempre presente nessa atual safra de jogadores verde-amarelos.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.