As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

O Campeonato Paulista e a Liga Sul-Minas-Rio

Com a criação da liga, repleta de grandes forças do futebol do País, o Paulistão será colocado à prova e o calendário brasileiro também.

Maurício Capela

09 de outubro de 2015 | 17h57

É embrionária, mas significativa. Parece inchada, mas flerta inteligentemente com o conceito de território nacional. Põe lado a lado grandes centros consumidores de futebol e lança um olhar em direção ao futuro. Eis a Liga Sul-Minas-Rio, agora chancelada pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

Mas a Liga Sul-Minas-Rio tem potencial para mais. No tabuleiro, há movimentos para, por exemplo, colocar em posição de xeque-mate o principal campeonato regional do País, o Campeonato Paulista.

Com grandes camisas do futebol nacional, como Flamengo, Fluminense, Atlético Mineiro, Cruzeiro, Grêmio, Internacional, basta uma temporada de sucesso à Liga para que os gatos dos regionais subam no telhado. Algo que já poderá acontecer logo de cara, em 2016.

Até porque, de primeira, a liga já vai colocar no corner os campeonatos estaduais do Rio de Janeiro, Santa Catarina, Paraná, Rio Grande do Sul e Minas Gerais, que inutilmente vão tentar se esquivar dos duros e certeiros golpes da realidade. Mas será em vão.

Em breve, portanto, a realidade vai bater à porta do Estado de São Paulo. E vai bater com números debaixo do braço. Cifras que vão demonstrar incremento de receita, aumento de popularidade, jogos tecnicamente interessantes entre os clubes envolvidos no torneio.

Um rosário de resultados que vai abalar certas crenças, como a de que o Campeonato Paulista é o mais competitivo do País. E por aí vai…

Só que o óbvio costuma ser implacável. Mesmo tendo ano após ano mandado recados, como esse, de que nenhuma das grandes torcidas do Estado se interessa pelo torneio. A não ser pela memória afetiva, que já foi maior e vai diminuindo a cada edição.

Quer outro? Boa parte dos jogos são ruins tecnicamente. E que somente ganham lá algum contorno de emoção no mata-mata. Emoção, não técnica.

Agora, se o óbvio continuar a ser sumariamente ignorado. Não há problema, porque a Liga Sul-Minas-Rio vai escancarar todo o cenário, principalmente à medida que os anos forem passando e os grandes clubes dessa liga forem se fortalecendo financeiramente, tendo mais recursos para gastar em cada edição do Campeonato Brasileiro

Mais dinheiro no futebol do século XXI significa times mais fortes e maiores índices de sucesso na disputa. É o óbvio!

Portanto, não se surpreenda se daqui uns dois ou três anos um pequeno fosso, ainda que discreto, comece a aparecer entre o futebol paulista e o da liga. Porque será resultado de toda essa combinação.

Daí só vai restar a óbvia alternativa… Implodir de vez os regionais e partir para um campeonato brasileiro, de fato, anual. Eis o real potencial da tal liga.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.