As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

O “gol” de placa de Montillo

O argentino talvez não saiba como uma atitude ética e honesta, respeitando o clube que o contratou, pode fazer bem à sociedade, cujo principal esporte é o futebol, como o Brasil.

Maurício Capela

30 de junho de 2017 | 15h13

Montillo… Há muitos por aí… Tomando decisões honestas, honradas e éticas diariamente. São anônimos, mas que ganham voz quando alguém com a mesma postura diante dos desafios da vida, mas famoso, diz ao mundo o que de fato anda acontecendo em suas vidas. E o faz diretamente, sem rodeios, sem firulas.

Montillo, tu talvez não saibas, talvez não tenhas dimensão em como uma atitude honesta injeta otimismo no cidadão anônimo, seja ele rico ou pobre. É uma dose cavalar de fé no ser humano.

Contratado para ser a a estrela da Estrela Solitária em 2017, Montillo disse adeus à bola em virtude de sucessivas lesões, cinco para ser mais exato nesses seis meses de Botafogo. No último compromisso, diante do Avaí, ficou apenas 7 minutos em campo. Sete! O mesmo número de sua camisa no Alvinegro. Uma triste coincidência, dessas que só acontecem com o Botafogo.

O fato é que Montillo foi íntegro. Diante dos filhos e de sua esposa, esse argentino de 33 anos, bom de bola, marcou um golaço, sem precisar driblar marcadores ferozes ou promover arrancadas geniais dentro de campo. Montillo somente encarou o seu problema de frente e isso tem muito valor.

Até porque ele poderia voltar ao departamento médico, dar início aos treinos, cumprir seu contrato e pronto. E tudo estaria transcorrendo dentro da normalidade de um acordo de trabalho. Mas ele preferiu o caminho da sinceridade. Algo raro em dias de marketing esportivo e cifras nababescas no futebol.

O exemplo de Montillo não pode ser chutado para escanteio, principalmente quando se olha ao redor do cotidiano brasileiro. E agora, com o fim de sua carreira, qualquer torcedor se lembrará não mais apenas dos títulos importantes conquistados no Cruzeiro e San Lorenzo, mas sim da atitude digna que só os grandes costumam ter. Montillo, hermano, a 7 do Fogão, a partir de agora, ganhou mais um significado, como as sete letras que dão sentido à palavra c-a-r-á-t-e-r.

Tudo o que sabemos sobre:

BotafogoMontilloAposentadoria

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.