As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Os “Gabrieis” e os “Lucas” dessa final de Copa do Brasil

Gabriel de Jesus e Lucas Barrios, protagonistas desse Palmeiras, vão medir forças com Lucas Lima e Gabriel, também figuras centrais desse Santos, na decisão que reúne a rivalidade de ontem e de hoje de santistas e palmeirenses.

Maurício Capela

29 de outubro de 2015 | 15h28

Palmeiras e Santos, Santos e Palmeiras, mais um encontro decisivo, mais uma finalíssima! Gigantes do futebol verde-amarelo, a final da Copa do Brasil somente reforça a rivalidade de hoje e recupera a de ontem. Porque desde os tempos alvinegros de Pelé e alviverdes de Ademir da Guia que Santos e Palmeiras sempre estiveram altivos frente a frente.

Mas há nuances nesse encontro na Copa do Brasil. Um encontro que também poderia ser entre “Gabrieis”, com a permissão da língua portuguesa, e “Lucas”.

Se do lado palmeirense, Gabriel de Jesus e Lucas Barrios são imprescindíveis no que diz respeito à conquista do título. No Santos, a história não é diferente, uma vez que Lucas Lima e Gabriel também são protagonistas.

Só que além da coincidência de nomes, a final entre Santos e Palmeiras ainda guarda lá um pensamento em direção ao presente e futuro do futebol no País. A cada jogo fica cada vez mais claro que o lugar de Lucas Lima é no meio de campo da Seleção Brasileira, ao passo que tanto Jesus como Gabriel esperam somente as folhas do calendário correr uma a uma para se juntar ao time hoje comandado por Dunga.

É inexorável, quase, não imaginar que Lucas Lima, Gabriel de Jesus e Gabriel terão tudo para estarem no grupo que irá à Rússia em 2018. São talentosos, todos, e em especial Jesus, cujo potencial de evolução ainda é enorme.

Gabriel, por outro lado, é quase uma realidade já, mesmo aos 19 anos. Rápido, com presença de área e moderno no que diz respeito ao papel de exercer a função de homem de referência, porque não fica preso entre os zagueiros, o garoto do Santos ainda tem em quem se espelhar, Ricardo Oliveira.

Gabriel definiu ainda mais seu estilo de jogo, após o desembarque de Oliveira na Vila Belmiro. E será questão de tempo para que o Brasil, de Dunga, o convoque.

Já Jesus, não! Gabriel de Jesus ainda está se soltando, conquistando a posição de titular no Palmeiras. Ainda precisará ganhar títulos, firmar-se na condição de protagonista para que seu nome entre no rol dos selecionáveis.

O bom para Jesus é que ainda falta um bocado de tempo para a Rússia. E até lá o menino de ouro da base do Palmeiras já deverá ter atingido a condição de protagonista no time de cima. E portanto selecionável.

Em suma, que final de Copa do Brasil! Que final!

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.