As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Copa do Mundo 2018: Haverá alguém tão decisivo quanto Cristiano Ronaldo?

Foi bem cedo: no segundo dia de competição já aconteceu o primeiro grande jogo da Copa da Rússia, aquele que a gente vai lembrar por anos. Portugal 3 x 3 Espanha.

Luiz Zanin Oricchio

15 de junho de 2018 | 22h59

Foi bem cedo: no segundo dia de competição já aconteceu o primeiro grande jogo da Copa da Rússia, aquele que a gente vai lembrar por anos. Portugal 3 x 3 Espanha. Não apenas pela marcha do placar, mas pela atuação fulgurante de Cristiano Ronaldo. Fez os três gols da sua seleção e arrancou esse empate ao rival ibérico quando isso já não parecia mais possível.

Fez o primeiro, de pênalti, por ele mesmo sofrido. Há quem discuta. Talvez ele tenha deixado a perna mesmo, mas houve o choque. Cobrou com a mesma facilidade de quem chupa um picolé, diria Nelson Rodrigues.

No segundo, contou com a ajuda do goleiro, desempatando de novo para Portugal.

E, no terceiro, que decretou o empate final, colocou fora de qualquer alcance do goleiro. Nem Gordon Banks tiraria aquela bola do ângulo. Nem Lev Yashin, o Aranha Negra que assustava o jovem Pelé. Nem Gylmar dos Santos Neves, o goleiro de todos os goleiros. A bola chutada por Ronaldo é daquelas que já saem com destino certo, sem nem precisar chegar à meta para que o placar se mova.

Se você for ver o jogo friamente, a Espanha até jogou melhor. Com mais racionalidade e calma, na base da troca de passes, que é o seu forte. Com a técnica mais bem distribuída entre os jogadores que estavam em campo.

Mas do outro lado tinha ele. Pode-se discutir o que se quiser: que Messi é mais completo e Neymar é mais espetacular. Seja. Mas quem decide jogos mais do que Cristiano Ronaldo? Vamos ver o que farão os outros dois quando estrearem na Copa. Vai ser duro chegar ao patamar criado por Ronaldo já no segundo dia da competição.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.