Ficou barato para o Santos
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Ficou barato para o Santos

Santos foi inoperante na partida contra o Flamengo no Estádio Luso Brasileiro, pela Copa do Brasil. Não fosse pela grande atuação do goleiro Wanderley, o placar poderia ter sido ainda mais dilatado

Luiz Zanin Oricchio

29 de junho de 2017 | 10h28

WJSANTOS105 – RIO DE JANEIRO – RJ – 28/06/2017 – COPA DO BRASIL/FLAMENGO X SANTOS – ESPORTES OE – Partida entre Flamengo e Santos, válida pelas Quartas de Final da Copa do Brasil, realizada na noite desta quarta-feira, 28, no Estádio Luso-Brasileiro, na Ilha do Governador na zona norte do Rio. Na foto jogadores do Flamengo comemoram o segundo gol de sua equipe marcado pelo jogador, Cuellar. FOTO: WILTON JUNIOR/ESTADAO

 

Um Santos totalmente passivo perdeu para o Flamengo por 2 a 0, ontem no Rio.

Ficou barato. Não fosse a atuação de Wanderley, que fez pelo menos quatro defesas milagrosas, já se poderia dizer que a vaga fora decidida. Com 2 a 0 contra, ainda há esperança, mesmo que a missão seja muito difícil na Vila. Ou no Pacaembu, nunca se sabe.

Para o santista, o jogo foi exasperante. O Santos entrou para garantir o 0 x 0. Quando estava perdendo por 1 x 0, acomodou-se e achou que também esta derrota simples era um bom resultado. Tomou o segundo.

Pior que o placar foi a postura do time em campo. O Flamengo dominou praticamente todo o jogo. A exceção foi um breve momento em que o Mengo cansou e o Santos tornou-se mais presente no campo do adversário. Mesmo assim, nada criou de significativo. Não lembro de uma chance real de gol criada pelo Peixe. 

Além de todos os problemas, fiquei com a impressão de que, com a chegada de Levir Culpi, o Santos regrediu rapidamente no plano tático. Usou e abusou das ligações diretas, como se não tivesse em campo um meia criador como Lucas Lima que, aliás, parece já estar com a cabeça em Barcelona e não na nossa linda cidade de Santos. Quando um cara (todos nós, não apenas o jogador) entende que o seu presente já é passado, perde por completo o foco. Não sei com certeza se este é o caso. Mas parece.

Enfim, o time do Santos está frouxo e parece sem motivação. Já estava assim com Dorival, mas pelo menos tinha algum padrão tático. Agora, nem isso. Com a saída do técnico, teve aquele espasmo de melhoria por uns dois ou três jogos. Agora voltou à rotina. E essa rotina não conduz a nenhum título. Muito pelo contrário.

 

Tudo o que sabemos sobre:

SantosFlamengoCopa do Brasil