As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

O Palestra voa

Luiz Zanin Oricchio

12 de abril de 2013 | 11h16

Sinto os palmeirenses eufóricos depois da vitória de 1 a 0 sobre o Libertad.

Têm toda razão. O time já era tratado por todos como vira-latas, quando, na base da garra e da boa obediência tática, começou a conseguir resultados. As vitórias vieram e o técnico estabilizou-se.

Técnico que já era dado como demitido após a goleada do Mirassol.

A direção teve a boa ideia de mantê-lo em meio à tempestade. E foi recompensada.

O fato histórico é a manutenção de Tite após a derrota contra o Tolima.

Não estou dizendo que Kleina terá uma trajetória semelhante, mesmo porque a condição dos dois times é bem diferente.

Mas, se fizer um bom papel no Paulista e na Libertadores, e reconduzir o Palmeiras à primeira divisão do Campeonato Brasileiro, poderá estar plantando algo de muito bom a ser colhido já no ano que vem.

Por que não?

Um filósofo popular dizia que Deus é paciência. Acho que tem razão.

Tudo o que sabemos sobre:

futebol

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.