As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Pelo rádio

Luiz Zanin Oricchio

15 de fevereiro de 2012 | 17h40

Quando eu era moleque ouvia os jogos da Libertadores pelo rádio. Não havia TV que transmitisse na época. Era uma emoção, com as transmissões cheias de barulhos e estáticas, locutores parciais, dizendo que os juízes haviam roubado nossos times, etc.

Vou voltar a esse tempo daqui a pouco. Como não há transmissão de Strongest x Santos, a não ser pela Fox Sports, que eu não tenho, vou apelar para o velho rádio.

Mas o sentimento que eu tenho agora não é de emoção. É de frustração mesmo. Enquanto os gigantes da comunicação brigam, quem se ferra é o torcedor, não é?

Tudo o que sabemos sobre:

futebol

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.