As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Aos 17, Duda supera Larissa/Talita e mostra que o futuro já chegou

Demétrio Vecchioli

26 de outubro de 2015 | 02h35

Poucas coisas no esporte hoje em dia são mais difíceis do que ganhar de Larissa/Talita. As duas formam, com sobras, a melhor dupla do mundo no vôlei de praia e tiveram um baixíssimo índice de derrotas na temporada, comparável ao de Djokovic, por exemplo. Neste domingo, sentiram o raro gosto de perder um jogo. E quem venceu, na final da etapa de Goiânia do Circuito Brasileiro, foi a promissora Duda/Elize Maia.

É sobre a Duda que vamos falar. Tem 17 anos e é, sem dúvida, a maior revelação da história do vôlei de praia brasileiro. Há dois anos, foi vice-campeã mundial sub-23 quando tinha apenas 15. Como a modalidade tem categoria de base até 23, ela ainda tem mais seis anos até se tornar adulta. E já é uma das melhores do mundo, como provou neste domingo.

Larissa/Talita estava há 42 jogos sem derrota, tendo conquistado seis títulos seguidos. Aí vêm uma ex-modelo que só recentemente se tornou jogadora de vôlei de praia e uma menina de 17 anos e acabam com essa hegemonia.

Lógico que ninguém fica feliz de perder, mas tenho certeza que Larissa e Talita sentiram algo especial neste domingo. Duda frequenta o “circo” do vôlei de praia desde que nasceu, filha de uma ex-jogadora, Cida. Como uma das duas únicas crianças do circuito (poucas atletas são mães), sempre foi bajulada. De tanto acompanhar a mãe, aprendeu vôlei de praia vendo suas hoje rivais jogarem.

Nunca antes alguém tinha sido campeã tão jovem de uma etapa do vôlei de praia brasileiro (nem masculino nem feminino). Também nunca ninguém havia ganhado medalha tão jovem no Circuito Mundial até Duda subir ao pódio num evento aos 16 anos.

Larissa/Talita e Ágatha/Bárbara serão as representantes do vôlei de praia brasileiro em 2016. Até Tóquio, tem muita água pra rolar. Mas a presença de Duda nos Jogos de 2020 é garantida. Também 2024, 2028, 2032….