As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Bellucci e Rogerinho levam briga por vaga olímpica até última semana

Demétrio Vecchioli

23 de maio de 2016 | 22h58

Eliminados na primeira rodada de Roland Garros, Thomaz Bellucci e Rogério Dutra Silva, o Rogerinho, vão levar até à última semana a briga para ver quem será o representante (ou os representantes) do Brasil em simples nos Jogos do Rio. Thomaz Bellucci tem enorme chance de estar no Rio-2016, seja ficando dentro da zona de classificação ou como melhor brasileiro no ranking. Ou pelas duas situações somadas. A confiança é tanta que ele nem disputará qualquer competição na semana que vem.

Descontando os 45 pontos da segunda rodada de Roland Garros no ano passado, Bellucci fica com 790. Considerando descartes, a lista de classificação para o Rio-2016 por enquanto engloba até o 72.º colocado, que tem 751 pontos.

Dentro dessa projeção, ele pode não precisa jogar na semana que vem para se manter dentro da zona de classificação. Além disso, o país sede tem direito a levar o melhor do ranking à Olimpíada e Bellucci só perde esse posto se Rogerinho vencer o Challenger de Prostejov, na República Checa,

Se for vice-campeão em Prostejov, Rogerinho alcança 759 pontos e teria boas chances de entrar diretamente na chave olímpica, mesmo sem passar Bellucci. Para se tornar o melhor brasileiro no ranking, entretanto, ele precisa ser campeão na República Checa, o que o garantiria na Olimpíada.

De qualquer forma, alcançar pelo menos a semifinal pode aproximar Rogerinho da Olimpíada. Em 2012, a Federação Internacional de Tênis (ITF) destinou cinco dos convites a que tem direito levando o ranking em consideração. Isso classificou até o 86.º do mundo aos Jogos. Rogerinho é o 85.º.

Tudo o que sabemos sobre:

tênisThomaz Bellucci