Esqueceu: Erro de confederação deixa melhor ginasta do Brasil fora do Mundial
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Esqueceu: Erro de confederação deixa melhor ginasta do Brasil fora do Mundial

Demétrio Vecchioli

25 de setembro de 2014 | 21h53

Foto de Ricardo Bufolin/CBG

*Atualizado às 0h44 desta sexta-feira com novas informações, detalhando o erro da CBG.

Acredite se quiser: a Confederação Brasileira de Ginástica (CBG) esqueceu de inscrever a principal atleta do País na prova mais importante do Mundial de Ginástica Rítmica. Inscreveu duas atletas e, quando foi inscrever a terceira (Angélica), não havia mais vagas para duas das quatro apresentações. Por isso, a competição individual foi encerrada nesta quinta-feira, em Izmir, na Turquia, sem a participação de Angélica Kvieczynski. A disputa por conjuntos é sábado e domingo.

Numa Olimpíada, a prova individual é composta pelo somatório das notas de arco, bola, maças e fita. No Mundial, porém, existe premiação para cada um desses aparelhos, além do que se chama “individual geral”. A CBG até inscreveu Angélica para as provas de arco e bola (que aconteceram na terça), mas simplesmente se esqueceu que só poderia inscrever atletas em 10 provas – e não 12, como fez.

Relacionou a estreante Larissa Jardim nos quatro aparelhos, assim como  a número 2 do País, Natália Gaudio. Quando foi inscrever Angélica, só havia mais duas vagas, regra que a fez ficar fora das apresentação com fita e maças. A entidade tentou convencer a FIG (Federação Internacional de Ginástica) a alterar as inscrições, mas não houve jeito.

Afinal, o limite de 10 provas por equipe estava previsto em regulamento. O erro foi da CBG, que pelo jeito não leu o documento, disponível no site da FIG (lá diz claramente: duas competem em quatro, outra só em dois aparelhos). No fim, como Angélica não participou das provas de fita e maças, não somou pontos para o individual geral, a prova mais importante do Mundial. Também não pôde ser avaliada para saber quão próximo chegou da meta: estar entre as 20 melhores no Mundial/2015 e, assim, garantir vaga na Olimpíada.

“Realmente fui inscrita somente em dois aparelhos, vou ficar fora da competição do geral! Houve uma pequena confusão na hora da inscrição, pois o regulamento mudou esse ano. Eu já entendi o que aconteceu, espero que todos entendam. Isso acontece, afinal, somos humanos, né?”, escreveu Angélica aos seus amigos e seguidores no Facebook.

Angélica foi 35.ª no arco e 38.ª na bola. Da final individual geral participam as 24 melhores e a brasileira teria pouquíssimas chances. Andressa foi 66.ª no arco, 68.ª na bola, 40.ª nas maças e 57.ª no arco. Foi melhor que Natália Gaudio, que conseguiu, respectivamente, 67.º, 67.º, 46.º e 62.º lugares. “Fiz a minha parte e estou satisfeita com meu desempenho em três aparelhos, só não na fita”, comentou Natália.

“A Andressa estreou muito bem e deu conta de lidar com a responsabilidade e a pressão que é participar de um Mundial. A Angélica fez bem os dois aparelhos que disputou e conquistou boas notas. A Natália evoluiu bastante, principalmente em termos técnicos e coreográficos”, elogiou a técnica Monika Queiroz.

Tudo o que sabemos sobre:

Angélica Kvieczynskiginástica rítmica

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.