Bronze em 2013, Guilherme Dias fica fora do Mundial de Tae Kwon Do por 1 quilo
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Bronze em 2013, Guilherme Dias fica fora do Mundial de Tae Kwon Do por 1 quilo

Demétrio Vecchioli

30 Março 2015 | 18h29

GUILHERME DIAS 2

Principal nome do tae kwon do brasileiro para os Jogos Olímpicos do Rio-2016, Guilherme Dias está fora do Mundial de 2015, que vai acontecer em maio, na Rússia. Medalhista de bronze na edição de 2013 da competição, o garoto de 22 anos não conseguiu bater o peso de 58kg para disputar a seletiva nacional, no sábado passado, e está fora da seleção brasileira. Isso significa que muito dificilmente ele conseguirá vaga para a Olimpíada. Edival Marques, que no ano passado foi campeão mundial juvenil e ganhou ouro nos Jogos Olímpicos da Juventude, não ficou entre os três primeiros da seletiva na categoria até 63kg e vive o mesmo problema.

Guilherme Dias pesa em torno 65 kg, mas como só há quatro categorias olímpicas no tae kwon do (até 58kg, até 68kg, até 80kg e +80kg), ele precisa baixar até 7kg (mais de 10% do seu peso) para competir. Fez isso no dia 11 de março, para representar a seleção brasileira no México. Ele e outros sete garantiram que o Brasil terá um competidor por categoria nos Jogos Pan-Americanos.

Obrigação cumprida e com o próprio passaporte para Toronto praticamente carimbado, Guilherme voltou ao Brasil e precisava voltar a baixar para 58kg novamente no último dia 28, sábado, em Betim (MG). Não poderia manter-se com esse peso, porque ficaria impossibilitado de treinar. “Cheguei até 59kg, mas o último quilo não saía de jeito nenhum”, conta ele.

O último quilo não saiu e as consequências são grandes para o tae kwon do brasileiro. O ranking olímpico dá valor desproporcional ao Mundial, do qual Guilherme não pode participar porque não faz parte da seleção – mesmo se ficasse em terceiro na seletiva, a vaga no Mundial seria dele por ser um Top 20 do mundo.

A situação deixa a Confederação Brasileira de Tae kwon Do (CBTKD) em uma “sinuca de bico”. Se levar Guilherme ao Mundial, vai ferir seus próprios critérios. Se não levar, perderá uma vaga olímpica. Isso porque, na prática, ficou impossível que o brasileiro, hoje número 10 do mundo, chegue em dezembro entre os seis melhores da lista para ter a vaga olímpica.

O Brasil tem direito a quatro convites nos Jogos do Rio no tae kwon do, sendo dois no masculino e dois no feminino. A CBTKD confiava que Guilherme fosse obter a vaga pelo ranking e que não precisaria “queimar” um convite com ele. Agora a história mudou e o brasiliense provavelmente será um dos contemplados por convite – o santista Leonardo Moraes, novo titular da categoria, sequer aparece no ranking olímpico.

A entidade já estudava dar um convite para Edival Marques, na categoria até 68kg, cujo titular continua sendo Gustavo Almeida – Diogo Silva, medalhista de ouro no Pan do Rio, em 2007, sequer se inscreveu para a seletiva. Mas a derrota do garoto na seletiva o deixou fora da seleção e do Mundial. Consequentemente, ele ficou sem chances de disputar uma grande competição antes da Olimpíada, nem mesmo o Pan (vai Gustavo Almeida).

No masculino, o Brasil ainda tem chances reais de obter vaga pelo ranking olímpico com Henrique Precioso, atual número 15 da categoria até 80kg, e Guilherme Félix, que ocupa o 14.º lugar na lista de +80kg. Mas ambos precisam fazer um grande Mundial para fechar o ano entre os seis primeiros.

Entre as mulheres, Iris Sang (49kg) é a oitava do ranking olímpico e única com chances claras de conseguir vaga no Rio-2016 sem depender de convite. Assim como Diogo Silva, a medalhista olímpica Natália Falavigna também não se inscreveu na seletiva e é carta fora do baralho para 2016.

Mais conteúdo sobre:

Guilherme Diastae kwon do