As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Caio Bonfim é o primeiro campeão brasileiro de 2014

Demétrio Vecchioli

20 de janeiro de 2014 | 00h43

A Copa Brasil de Marcha Atlética foi o primeiro torneio nacional realizado em 2014. E Caio Bonfim se tornou assim o primeiro campeão brasileiro de 2014 ao vencer a principal prova em Navegantes (SC), a dos 20km.

Por conta das condições climáticas, as comparações não são exatamente justas, mas os resultados vistos neste fim de semana foram piores do que dos últimos anos. Tricampeão, Caio (da CASO-Brasília) venceu com 1h27min em 2012, 1h25min em 2013 e 1h30min este ano. A temperatura em Santa Catarina, porém, variou de 31ºC a 36ºC, num calor desproporcional.

Como comparação, o melhor tempo de Caio ano passado foi na casa de 1h22min, o que o deixou no 68º lugar do ranking mundial, quase quatro minutos mais lento que o líder da lista, um russo. É uma diferença que, se não dá para tirar para brigar por medalhas, pelo menos pode fazer a marcha brasileira não fazer feio em 2016. Caio, é bom destacar, tem só 22 anos.

Em Navegantes, nos 10km, Moacir Zimmermann acabou em segundo (assim como em 2012), depois de marchar ao lado de Caio até o último quilômetro. Também atleta da AABLU (Blumenau), José Alessandro Bernardo Bagio acabou em terceiro. Mas a melhor notícia foi Lucas Mazzo, de apenas 19 anos, no quarto lugar.

Nos 50km, mais uma vitória de Claudio Richardson dos Santos (AABB Currais Novos), um dos único quatro atletas a completar a prova, em 4h29min11s. Como comparação, ano passado foram dois concluintes, com Richardson vencendo em 4h14min. O campeão no Mundial de Moscou fez 3h37. Quase uma hora mais rápido! É muita diferença.

MULHERES – No feminino, uma boa prova de Cisiane Dutra Lopes dentro dos padrões brasileiros. Campeã ano passado com a BM&F Bovespa, desta vez ela correu como “convidada” para vencer com 1h45min05 a prova de 20km, com cinco minutos de folga para Elianay Santana, de Brasília, e 15 minutos para Nair da Rosa, de Blumenau. Em nível internacional, ainda falta muito. A líder do ranking mundial do ano passado foi 20 minutos mais rápida que Cisiane. E ela já tem 30 anos.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: