As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Calderano vence em Santos e é o campeão mais jovem da história

Demétrio Vecchioli

11 de agosto de 2013 | 16h37

Calderano

Nunca o Circuito Mundial de Tênis de Mesa teve um campeão tão jovem. E o feito é brasileiro. Neste domingo, aos 17 anos, Hugo Calderano entrou para a história da modalidade ao vencer o compatriota Gustavo Tsuboi, em Santos, e conquistar o título do Aberto do Brasil. Esta também foi a primeira final entre brasileiros na história do Circuito.

Ajudou bastante, porém, o fato de o Aberto do Brasil ter recebido poucas inscrições de atletas de fora. Dos oito cabeças de chave, quatro eram brasileiros, inclusive os três primeiros: Cazuo Matsumoto, Gustavo Tsuboi e Thiago Monteiro.

A surpresa se deu pela excelente atuação de Calderano. Aos 17 anos, o atleta número 253 do ranking mundial adulto venceu Cazuo Matsumoto (63º do mundo) por 4 sets a 2 na semifinal. Depois, na decisão, mostrou sangue frio para vencer Tsuboi (80º do ranking) pelo mesmo placar.

O garoto, que começou atrás na partida e perdeu o primeiro set por 8/11, reagiu vencendo as duas parciais seguintes, com 11/3 e 11/9. No quarto set Gustavo ameaçou uma reação com 11/7, mas Calderano voltou à frente com 11/6. No sexto set, Tsuboi teve cinco set points, mas Hugo fez sete pontos seguidos e fechou o jogo.

Ao conquistar o título em Santos, Calderano se tornou o segundo brasileiro a vencer uma etapa do Circuito Mundial – Cazuo foi campeão no Aberto da Espanha, em janeiro. O jovem formado pelo Fluminense e hoje atleta de São Caetano (SP) é o primeiro mesa-tenista menor de 18 anos a vencer no individual masculino no Circuito Mundial, criado em 1995, quando ele sequer havia nascido. 

Calderano teve uma campanha consistente em Santos. Venceu Danilo Toma, que jogava em casa, passou em 4 a 2 pelo indiano Soumyajit Ghosh, quarto cabeça de chave, e depois surpreendeu o favorito Cazuo Matsumoto na semifinal.

Vice-campeão Tsuboi havia eliminado o alemão Fleming, o argentino Gaston Alto e o indiano Desai, estes dois últimos respectivamente oitavo e sexto cabeças de chave.

Dos demais brasileiros, Thiago Monteiro foi até as quartas, mas perdeu para o Desai por 4 a 3. Eric Mancini caiu diante do francês Brossier, nas oitavas. Também chegaram a esta etapa Israel Barreto, Humberto Manhani e Lidney Castro, por furarem o quali. Eric Jouti vacilou diante de Eric Mancini e acabou fora da chave principal.

MULHERES – No feminino, o desempenho das brasileiras foi regular. Gui Lin chegou até as quartas de final, mas foi eliminada pela romena Elizabeta Samara, 19ª do mundo e ampla favorita ao título. Jessica Yamada também parou nesta etapa, diante da indiana Manika Batra, terceira cabeça de chave.

Samara já havia eliminado Bruna Alexandre nas oitavas e Batra passado por Lígia Silva. Lívia Fontana e Laís Toma foram outras brasileiras que furaram o quali.

Já Caroline Kumahara foi quem chegou mais longe, perdendo nas semifinais para a indiana Ankita Das por 4 sets a 1. A brasileira, porém, era a segunda cabeça de chave, como 166ª do ranking mundial.

SUB-21 – O Aberto do Brasil também teve disputas no sub-21. No feminino, praticamente a mesma chave do adulto, sem a romena. Caroline Kumahara aproveitou para ir à final, mas acabou derrotada pela indiana Batra.

Gui Lin venceu Anika Das, algoz de Carol no adulto, mas parou em Caroline na semifinal. Bruna Alexandre e Katia Kawai foram eliminadas, respectivamente, pelas indianas Batra e Mukherjee.

Entre os meninos, destaque novamente para Calderano, que parou no francês Brossier na semifinal. O rival acabou campeão. Eric Jouti deu azar e enfrentou exatamente Calderano nas quartas. Dos oito brasileiros que estavam nas oitavas (um em cada partida), só os dois avançaram. Jeff Yamada foi quem deu mais trabalho para perder.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: