As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

CBJ leva todo mundo à Europa para corrigir categorias com problemas

Demétrio Vecchioli

10 de fevereiro de 2014 | 23h14

Das 14 categorias do judô, em quatro o Brasil tem problemas, com nenhum atleta entre os primeiros do ranking mundial. E, para tentar apontar em quem vale a pena investir durante o ano, a Confederação Brasileira de Judô (CBJ) vai levar todos os integrantes da seleção nestas quarto categorias para competir duas vezes na Europa em fevereiro.

Nas categorias meio-médio (até 63kg) e médio (até 70kg) feminino, a leve (até 73kg) e meio-pesado masculino (até 100kg), todos os três judocas da categoria vão participar das etapas do European Open (antiga Copa do Mundo) no próximo fim de semana. As mulheres em Roma e os homens em Oberwart (Áustria).

Depois, aqueles que disputaram o Grand Slam de Paris, no fim de semana passado, voltam para casa e dão chances aos demais competirem no Grand Prix de Dusseldorf, na semana seguinte.

“Esse planejamento foi feito dessa forma pensando em dar oportunidades semelhantes a todos os atletas. Eles participarão de duas competições fortes na Europa podendo somar pontos para o ranking mundial e terão o mesmo período de treinos. A comissão técnica irá observar o desempenho deles para construir os calendários individuais para os próximos trimestre”, disse Amadeu Moura, supervisor técnico de alto rendimento.

Ao todo, 27 atletas brasileiros estarão em ação no fim de semana. O grupo ainda será completado por Rafael Silva, que vai estrear na temporada em Dusseldorf. Das 14 categorias olímpicas, na médio masculino (até 90kg) o Brasil também não tem nenhum top 10, mas a CBJ tem plena confiança em Tiago Camilo, que está machucado. De qualquer forma, Eduardo Silva e Eduardo Santos competem na Áustria.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.