As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Cesar Castro termina em 15º e fica fora da final do trampolim

Demétrio Vecchioli

25 de julho de 2013 | 11h42

Castro

Texto meu para a AE

Se a maratona aquática sozinha garantiu um recorde de medalhas para o Brasil no Mundial de Esportes Aquáticos, o nado sincronizado decepciona. Único brasileiro em Barcelona, César Castro foi eliminado nas semifinais do trampolim de 3m, nesta quinta-feira, e deu adeus à competição na Piscina Municipal de Montjuic. Sábado, ele havia terminado em 30º no trampolim de 1m.

Castro, que avançou à semifinal do trampolim de 3 metros como 15º colocado, precisava ficar entre os 12 melhores para chegar até a final da prova que é a sua especialidade. Após cinco saltos na tarde desta quinta-feira em Barcelona, ele ocupava a 14ª colocação. Na última tentativa, fez um salto de dificuldade baixa e terminou apenas em 15º.

No total, Castro, que chegou a ser quinto colocado no Mundial de 2009, fez 409,65 pontos na final desta quinta-feira em Barcelona. Desempenho pouco melhor do que na fase preliminar, mais cedo, quando somou 402,6 pontos, na mesma 15ª colocação. Como comparação, ao conquistar uma inédita medalha de ouro no Grand Prix de San Juan (Porto Rico), em maio, ele fez 435 pontos nas eliminatórias, 448 na semifinal e 467 na final. Desempenho igual na Espanha faria ele ir à final em quinto, brigando por medalha.

Além de César Castro, Hugo Parisi também se classificou para o Mundial, na plataforma de 10m. Mas o saltador foi pego num exame antidoping, pelo uso de um medicamento para tratamento de uma uvulite associada a faringolaringite (inflamação na faringe) que continha substância proibida. Assim, foi suspenso por três meses a contar de 14 de junho e nem foi a Barcelona.

Outros atletas que teriam condições de conseguir a vaga no Mundial nos saltos ornamentais sequer participaram das seletivas porque fizeram, no primeiro semestre, intercâmbio na China. Assim, não competiram no Troféu Brasil, que era classificatório para os Grand Prixs. Os índices precisavam ser feitos nestes torneios. Cassius Duran e as gêmeas Nicoli e Natali Cruz chegaram a ir aos GPs, mas não conseguiram a vaga no Mundial. Juliana Veloso recentemente teve seu segundo filho e está afastada das competições.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: