As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Com Tony Azevedo, Sesi é campeão brasileiro de polo aquático

Demétrio Vecchioli

14 de dezembro de 2014 | 09h30

Contando no seu elenco com Tony Azevedo, carioca que ganhou a prata olímpica em Pequim/2008 pelos EUA e é um dos melhores do mundo na atualidade, o Sesi conquistou, na noite de sábado, o seu primeiro título nacional no polo aquático. A conquista veio em uma emocionante final contra o Pinheiros, decidida nos pênaltis após empate em 11 a 11 no tempo normal – o polo tem quatro tempos.

Foi exatamente de Tony o último gol da Liga Nacional, nos pênaltis. Depois dele, Marcelo Franco cobrou para o Pinheiros e parou nas mãos do goleiro Marcelo, garantindo o título para os donos da casa – apesar de o Pinheiros ter tido melhor campanha na fase de classificação, o jogo único da final aconteceu na piscina do Sesi da Vila Leopoldina, em São Paulo.

O vice é o terceiro do Pinheiros, campeão das três primeiras das sete edições do torneio e terceiro colocado no ano passado. Já o Sesi conquistou seu primeiro título depois de ter sido vice em 2013 e terceiro colocado em 2011 e 2012. Na decisão do bronze, vitória do Paulistano sobre o Fluminense, então tricampeão consecutivo. A equipe carioca fica fora do pódio pela primeira vez, enquanto o Paulistano ganhou seu segundo bronze – o outro fora em 2010.

O artilheiro do campeonato foi Gustavo Coutinho,do Paulistano, com 59 gols, seguido de Grummy, do Sesi, e também jogador da seleção brasileira. O sérvio Slobodan Soro, de três medalhas olímpicas no currículo, foi o melhor goleiro do torneio, pelo Fluminense. Ele busca a naturalização para defender o Brasil no Rio/2016.

A Liga teve a participação de oito equipes de Rio (Flamengo, Botafogo e Fluminense) e São Paulo (A Hebraica, Paulistano, Sesi, Pinheiros e Paineiras) e durou dois meses, com turno, returno e semifinais. Entre os destaques do torneio, Kiko Perrone, bronze com a Espanha no Mundial de 2007, que jogou pelo Fluminense. Seu irmão Felipe, que vai voltou a defender o Brasil e é um dos melhores do mundo, voltou a atuar nas ligas europeias.