As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Doping volta à vida de Ana Cláudia junto com técnico que ela delatou

Demétrio Vecchioli

10 de março de 2016 | 13h24

Carma. Não há outra explicação. Era madrugada desta quinta-feira quando o GloboEsporte.Com publicou a informação de que Ana Cláudia Lemos foi pega em exame antidoping, depois confirmada pelo técnico dela, Katsuhico Nakaya, ao UOL. Também era madrugada desta quinta-feira quando finalmente acabou a pena imposta a Jayme Netto e ele pôde finalmente voltar a se declarar um técnico de atletismo.

O que as duas histórias têm em comum? Jayme Netto ficou quase sete anos suspenso por ter admitido ter sido o responsável pelo doping de cinco atletas deles pegos em exame antidoping em 2009. À época, Ana Cláudia Lemos foi apontada como a responsável por delatar sua equipe, a Rede Atletismo, de Presidente Prudente, e seu treinador.

Ana Cláudia chegou a ser convocada para depor na Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) em meio às investigações sobre o maior escândalo de doping do esporte nacional. Ela namorava Basílio Emídio de Moraes Júnior, corredor da BM&F Bovespa, equipe rival da Rede de Atletismo, e ele teria levado a denúncia à CBAt. Um teste surpresa foi feito antes do Mundial de Berlim e flagrou Bruno Lins, Jorge Célio, Lucimara Silvestre, Josiane Tito, Luciana França e Lucimar Teodoro, todos com EPO.

Evelyn Santos, da mesma equipe, teve resultado negativo no exame antidoping, mas admitiu que recebeu as injeções que supostamente continham o hormônio sintético e se retirou voluntariamente do Mundial. Ana Cláudia foi beneficiada e, mesmo fazendo parte da Rede, foi convocada para competir em Berlim. Logo depois ela assinou com a BM&F, equipe que ela defende até hoje. De acordo com Jayme, Ana Cláudia já tinha tudo acertado para trocar de clube quando o escândalo estourou.

Agora a situação se inverte. Nesta quinta-feira se encerrou a punição imposta pelo Conselho Federal de Educação Física (Crefi), que permite a Jayme voltar a exercer a profissão. Ele chegou a ser banido do esporte pela CBAt, mas conseguiu reduzir a pena a cinco anos, ficando livre dessa punição em 2014. Desde essa quinta, é um técnico de atletismo livre para trabalhar.

Já Ana Cláudia, que teria sido notificada na quarta-feira pela Agência Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD), pode ser suspensa nos próximos dias. Ainda não se sabe para qual substância ela testou positivo, nem quando foi realizado o exame. Há sempre a possibilidade de ela ter ingerido involuntariamente, ou de o análise ter sido mal feita. Mas não é isso que costuma acontecer.

Se ela for punida, fica fora do revezamento 4x100m do Brasil na Olimpíada. E aí quem deve ganhar uma chance? Evelyn Santos. Carma…

Tudo o que sabemos sobre:

atletismodoping