As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Duplas ‘antigas’ dominam momento do vôlei de praia brasileiro

Demétrio Vecchioli

24 de junho de 2013 | 23h59

Talita e Taiana são só felicidade. Em cinco etapas do Circuito elas já têm três títulos

Talita e Taiana são só felicidade. Em cinco etapas do Circuito elas já têm três títulos

A mudança no formato do vôlei de praia mundial, com a substituição das “duplas” por “seleções”, pode até se justificar no futuro, mas por enquanto, pelo menos no Brasil, as parcerias formadas pela CBV ainda não amadureceram. Enquanto isso as duplas que já atuavam juntas aproveitam o entrosamento para abrir dianteira no ranking mundial.

É o caso, por exemplo, de Taiana e Talita, que eram as vice-líderes do ranking mundial antes da vitória no Grand Slam de Roma, neste domingo. Isso mesmo participando de apenas quatro etapas, contra seis das líderes Meppelink e van Gestel (Holanda) – quando a lista for atualizada, as brasileiras vão aparecer 164 pontos à frente.

A outra dupla brasileira que se manteve do Circuito Brasileiro, Maria Clara/Carol, ocupava o terceiro lugar antes de Roma. Ágatha/Maria Elisa apareciam só no sétimo lugar, logo à frente de Fernanda/Elize Maia, que disputa o Circuito Sul-Americano. Lili/Bárbara estava em 13º, mas deve subir bastante com o bronze no Grand Slam.

No masculino a liderança do ranking era de Pedro Solberg/Bruno Schmidt, que venceu, em Haia (Holanda), semana passada, o primeiro título da dupla no Circuito Mundial. Em Roma, eles ficaram com o bronze atropelando Alison/Emanuel, que ainda não engrenou na temporada e ocupava o 35º lugar do ranking, com participação em um torneio a menos que os demais brasileiros. Evandro/Vitor Felipe aparecia no 10º lugar, enquanto Ricardo/Álvaro Filho estava em sétimo.

O Circuito para por uma semana e retoma no dia 1º de julho, com o Mundial, que vai acontecer em Stare Jablonki, na Polônia.

HOMENS – Por enquanto a grande pedra no sapato dos brasileiros tem sido Gibb/Petterson (EUA), que já venceram seis confrontos contra duplas do Brasil em cinco etapas. Não à toa estavam em segundo no ranking. Dupla terceira colocada na lista, Smedins/Samoilovs (Letônia) já superou brasileiros em cinco jogos.

Nos confrontos entre brasileiros, predomínio de Pedro/Bruno, que já venceu três dos quatro duelos contra outras duplas da seleção. Ricardo/Álvaro tem uma vitória em três,  Evandro/Vitor uma em duas e Alison/Emanuel nenhuma em um.

MULHERES – No feminino, o maior problema tem sido as líderes do ranking mundial, Meppelink e van Gestel, que já venceram brasileiras em seis oportunidades. Quartas do ranking, Holtwick e Semmler foram algoz de duplas brasileiras em três oportunidades.

Nos confrontos diretos, destaque para Talita/Taiana, que venceu três de cinco, mesmo desempenho de Lili/Bárbara Seixas. Ágatha/Maria Elisa soma duas em cinco, enquanto Maria Clara/Carol perdeu os dois duelos diretos que fez.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.