As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

É só o começo – Brasileiro Juvenil de Atletismo tem recordes e bons velocistas

Demétrio Vecchioli

24 de setembro de 2013 | 00h47

Enquanto acontecem em Lima os Jogos Sul-Americanos da Juventude, que vão merecer post especial, claro, o principal jovem evento da semana foi o Brasileiro Juvenil de Atletismo, que contou com os principais nomes da modalidade no Ibirapuera. Nenhum recorde nacional caiu, mas foram muitos os bons resultados.

Um dos mais expressivos veio nos 1.500m, com vitória do carioca Thiago André (1995), que bateu o mais antigo recorde do campeonato, que durava desde 1982, com o tempo de 3min45s14. Ainda falta muito, porém, para sonhar em disputar com os quenianos.

Vitor Hugo dos Santos (1996) venceu nos 200m com 20s79, acima 0s11 da melhor marca dele na temporada – que é a 11ª do ranking mundial. Tamiris de Liz (1995) venceu nos 200m (24s06) e nos 100m (11s52). Nesta última prova, fez seu melhor tempo da temporada, o 23º do ranking mundial.

Outro que fez o melhor tempo brasileiro do ano na categoria foi Luis Gabriel Silva (1994), com 10s32 nos 100m. A marca equivale ao 13º lugar no ranking mundial. Vitor Hugo, com 10s44, melhorou em 0s09 o tempo que fez no Mundial de Donetsk, de menores (uma categoria abaixo). Nunca é demais lembrar que ele tem mais dois anos de juvenil.

Carlos Eduardo Grachet (1994) fez 46s55 nos 400m, melhorando seu recorde pessoal em 0s05 e aparecendo cada vez mais como promessa para reforçar o revezamento 4×400 brasileiro, que sonha com medalha em 2016.

Por fim, Nelson Fernandes (1994) conseguiu 19,52m no arremesso de peso, marca que o alça ao 13º lugar do ranking mundial e o coloca como novo recordista do campeonato.

GINÁSTICA ARTÍSTICA – Principal jovem ginasta do Brasil, Ângelo Assumpção participou neste fim de semana do Internacional Júnior, no Japão. Ali, conquistou o bronze no salto, com 14.775 pontos. Ele ainda foi nono colocado no individual geral, com 81.250 pontos e oitavo no solo, com 13.575. A nota do salto o daria o bronze na etapa de Cottbus da Copa do Mundo, por exemplo.

HIPISMO – Em Rosário (Argentina), o Brasil foi soberano no Sul-Americano da Juventude de Saltos. Nas quatro categorias os campeões foram brasileiros. Destaque para Guilherme Saraiva, que venceu no young riders. Giulia Scampini foi campeã júnior e carimbou passaporte para os Jogos Olímpicos da Juventude do ano que vem.

TAEKWONDO – Em Queretaro, no México, o Brasil conquistou 24 medalhas no Pan Juvenil e Cadete. No Juvenil, foi só um ouro, com Caio Motta (até 55kg). No geral, de 16 finais, o Brasil só ganhou três.

TRIATLO (da semana passada) – Se no adulto o Brasil teve um nono lugar em Londres, na base os resultados no Mundial de Triatlo (é chamado assim) foram pouco animadores. O melhor desempenho foi de Luisa Baptista, 29ª colocada no júnior feminino, prova que também teve Fabíola Gomes em 54º. Ambas são de 1994.

Entre os homens, Manoel Messias, dois anos mais novo, acabou na 59ª colocação. No sub-23, menos inscritos (até porque parte deles já competem entre adultos). Paulo Roberto Maciel acabou no 36º lugar. Ele já tem 23 anos e faz parte da seleção permanente que treina em Rio-Maior (Portugal).

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: