As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

É só o começo – Judô fatura 24 medalhas na Europa. Natação, 43 ouros na Argentina

20 de março de 2013 | 02h31

Golpe lindo em Coimbra

Golpe lindo em Coimbra

JUDÔ – O grande número de atletas de alto rendimento permite ao Brasil poupar seus melhores judocas, levar um time B para competir no Uruguai e ainda ter grandes nomes competindo em torneios de base. Na European Cup Junior de Coimbra (Portugal), para atletas até 21 anos, a equipe brasileira conquistou 18 medalhas.  Já no European Cup Cadets de Antalya (Turquia) foram seis medalhas para o Brasil com seu time sub-18.

Entre os campeões em Portugal estão Gabriela Chibana (13º do mundo até 48kg no adulto) e Flavia Gomes (18 anos, campeã mundial sub-18 no até 57kg). Também  subiram ao lugar mais alto do pódio Gabriel Silva (55kg),

  • Nícolas Santos (60kg),
  • Gustavo Assis (81kg),
  • Ruan Silva (100kg),
  • Camila Nogueira (78kg). Aine Schmidt (70kg) foi a única brasileira campeã na Turquia.

O judô brasileiro competiu com mais de 60 atletas na Europa, graças a um convênio com o governo federal. Esse grupo volta a competir no fim de semana que vem.

ATLETISMO – Claudine Paola Gimenes fez o índice para disputar o Pan-Americano Juvenil no salto triplo, com 12,84m. A atleta tem 18 anos.

NATAÇÃO – Ainda está acontecendo em Valparaíso o Sul-Americano de base. A natação já acabou e rendeu 73 medalhas ao Brasil ( 43 ouros, 25 pratas e cinco bronzes). É o melhor resultado histórico do País, que sempre teve supremacia no continente.

Aos 17 anos, Pedro Cardona foi o grande nome do Juvenil B (de 16 a 18 anos), que venceu os 100m peito com o tempo de 1min02s99 e ainda faturou bronze nos 200m peito e ouro no revezamento 4×100 medley. O Best Swimming fez uma cobertura muito legal. Tem todos os resultados lá.

(O “É só o começo” é uma série que resumo o que de melhor aconteceu na semana/quinzena/últimos dias nas categorias de base dos esportes olímpicos. É o pessoal de 2020. Ou por que não as surpresas de 2016?)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.