As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Fernanda e Ana confirmam domínio na 470 e vencem Princesa Sofia

Demétrio Vecchioli

08 de abril de 2013 | 12h03

Fernanda Oliveira e Ana Barbachan vencem na Espanha

Fernanda Oliveira e Ana Barbachan vencem na Espanha

O começo de ano tem sido relativamente bom para a vela brasileira. Depois de uma Olimpíada em que só Robert Scheidt/Bruno Prada se destacou, o novo ciclo se inicia com bons resultados na 470 feminina e uma certa consistência de Bimba e de Bruno Fontes. A preocupação só é com o futuro de Bruno Prada, que perdeu para Jorge Zarif a vaga na seleção e compete pelo mundo graças aos patrocinadores.

Acabou no domingo o Troféu Princesa Sofia, disputado em Palma de Maiorca, na Espanha. E a única medalha dos brasileiros veio com Fernanda Oliveira/Ana Barbachan na 470 feminina. Elas venceram quatro das 12 regatas da fase de classificação e chegaram em vantagem à medal race. Ficaram com o ouro.

Vale destacar que esta etapa da Copa do Mundo de Vela estreou novo formato. Agora o vencedor da regata não perde pontos, somando zero, o que valoriza vitórias. Na 470, foram seis regatas na primeira fase e mais seis quando a flotilha foi separada. A classe teve duas medal races. Na última, vitória do barco brasileiro.

Essa é a quinta vitória de Fernanda/Ana em 2013. Elas já haviam vencido o Brasileiro, o Sul-Americano, a Semana Brasileira e a etapa de Miami. Na Espanha, por exemplo, muitas das duplas eram novatas, mas todo ciclo olímpico começa assim.

Duas medalhas bateram na trave. Uma, claro, escapou da mão de Bimba. Quarto colocado no Mundial de Búzios, pouco tempo atrás, ele foi muito regular na segunda metade da competição, variando do primeiro ao terceiro lugar a partir da quarta de 12 regatas. Mas não repetiu o bom desempenho nas duas medal race. Somou um quinto e um sétimo lugares e despencou da vice-liderança para o quinto lugar. O que não é ruim, uma vez que competiu contra diversos olímpicos.

Na Laser, outro quinto lugar, com Bruno Fontes. Mesmo sem uma grande constância, ele chegou como vice-líder à medal race, mas não conseguiu ser rápido na hora decisiva, com um sexto e um novo lugares. No total, a classe teve 119 inscritos.

Já na 49er FX, Martine Grael e Kahena Kunze não conseguiram repetir o título conquistado em Miami, que deu a elas a liderança do ranking mundial. A dupla fez uma boa segunda metade da competição, chegou à medal race, mas terminou em sexto, a apenas 11 pontos do bronze.

Ainda teve Brasil na 49er masculina, com André Fonseca e Francisco Andrade terminando em 17.º. Competindo como Banco do Brasil/Gocil (e não como CBVELA, como os demais), Bruno Prada foi só o 25.º na Finn. Jorge Zarif desistiu a cinco regatas do fim. Na Laser, Matheus Dellagnelo, que treina com Bruno Fontes, foi o 35.º.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.