As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Franciela iguala recorde e amplia sonho de medalha no revezamento

Demétrio Vecchioli

08 de abril de 2013 | 23h38

Franciela passa o bastão para Rosângela

O grande nome do fim de semana no atletismo foi Franciela Krasucki. A esposa de Kleberson Davide, que, como ele, corre pelo Pinheiros, igualou o recorde Sul-Americano de Ana Cláudia Silva nos 100m ao correr para 11s15 em São Paulo. O tempo, porém, não é o melhor da história do atletismo brasileiro. Isso porque Rosângela Santos fez 11s07 nas eliminatórias da Olimpíada. A marca não vale como recorde porque o vento que batia no Estádio Olímpico estava acima de 2m/s, o que invalida recordes.

As três precisam correr abaixo disso se quiserem fazer uma final individual em Moscou (só Franciela está classificada), mas dá pra sonhar sem exagero com uma medalha no revezamento. No ano passado, só EUA e Jamaica tiveram mais de duas atletas correndo abaixo de 11s15 – o Brasil hoje tem três em condições de conseguir isso. A disputa pelo bronze (sem considerar erros) seria contra a Nigéria e a Ucrânia.

As europeias, que ficaram com o terceiro lugar em Londres, fecharam 2012 com as suas quatro melhores atletas somando 44s78 nos seus tempos individuais. Se considerar o melhor de cada uma, Ana Cláudia, Franciela e Rosângela somam 33s37.

Leia mais: Ana Cláudia Lemos e Nilson André têm bons tempos no Chile

Com Evelyn dos Santos repetindo o seu tempo do ano passado, daria 44s72. Esse ano ela já correu para 11s43, o que empataria com o tempo das ucranianas. Mas ainda temos a garota Tamiris Lis, que fez 11s42 no ano passado e tem só 17 anos. A promessa é de crescimento a olhos vistos em 2013. Ela e Evelyn devem brigar pela quarta vaga no revezamento em Moscou. Vanda Gomes aparece como sexto nome: fez 11s50 em São Paulo neste fim de semana.

O bom momento, vale ressaltar, é comprovado pela regularidade das atletas. Ana Cláudia Silva marcou 11s24 na quarta e 11s29 no sábado, sempre competindo no Chile. Franciela cravou 11s27 na semifinal em São Paulo. O índice é 11s17.

MAIS VELOCIDADE – Nos 200 metros, o momento ainda não é de festa. A semana teve Franciela Krasucki correndo a 23s22. Ana Cláudia venceu duas vezes no Chile, com 23s46 e 23s36. O índice ainda está longe: 22s78.

No masculino, prova relativamente forte dos 100m só no Chile, quarta com Ailson Feitosa vencendo com 10s35. No sábado, só tempos ruins: 10s66 para ele, 10s68 para Nilson André e 10s74 para Eric Martins.  O índice é 10s14.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.