As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Governo do Rio corta apoio a jovens para dar bolsa de R$ 15 mil a ‘paulista’ Zanetti

Demétrio Vecchioli

26 de outubro de 2015 | 21h39

Campeão olímpico, Arthur Zanetti tem sua história conhecida. Nasceu em São Caetano do Sul, mora em São Caetano do Sul, compete por um clube de São Caetano do Sul. Mesmo assim, o Governo do Estado do Rio decidiu pagar a ele uma bolsa mensal de R$ 15 mil, destinada a atletas que moram e treinam no Rio. Para beneficiar o paulista, cortou apoio a jovens promissores do Estado, como o velocista Jorge Henrique da Costa Vides.

O Talento RJ é uma bolsa paga pelo governo fluminense a agora 18 atletas de alto rendimento que deverão estar nos Jogos Olímpicos do Rio. Até setembro, o grupo era composto por 19 esportistas, mas seis nomes foram excluídos, sendo três (Juliana e Maria Elisa, do vôlei de praia, e Renata Decnop, da vela) porque não vão à Olimpíada. Também Jefferson Lucindo, outro destaque do atletismo, foi cortado.

De acordo com a Secretaria de Esporte Lazer e Juventude, a escolha de Arthur Zanetti se justifica porque ele “está em treinamento permanente com a seleção brasileira no Rio de Janeiro”. Foi no antigo velódromo, hoje CT da ginástica artística, que a seleção fez sua preparação para o Mundial que está sendo disputado em Glasgow, na Escócia.

Adicionado ao programa em setembro, Zanetti deixou o Rio no dia 8 de outubro rumo à Europa e não pretende mais voltar, uma vez que ele prefere treinar no seu clube, SERC/Santa Maria, em São Caetano do Sul – seu técnico, Marcos Goto, foi um dos que se expressou contra a formação de uma seleção permanente no Rio. Como a equipe só se reúne esporadicamente, os ginastas voltarão para seus clubes após o Mundial, ficando no CT apenas os que desejarem.

De qualquer forma, o governo do Rio garante ter se precavido. “No contrato que firmamos com cada atleta, existe uma cláusula que menciona que a permanência do atleta no projeto só ocorre enquanto ele treinar e/ou morar no Rio”, explicou a secretaria, em nota.

A pasta, gerida por Marco Antônio Cabral, filho do ex-governador, explicou assim os motivos que a levaram a cortar o apoio a dois atletas do revezamento 4x100m e optar pela bolsa a Zanetti: “O time é composto por atletas de alta performance e por jovens que já se destacam em suas modalidades, considerados promessas do esporte brasileiro. Por isso, estes atletas precisam de apoio para seguirem suas missões com tranquilidade e com as melhores condições de treinamento a fim de que alcancem um bom desempenho. Portanto, essa premissa define os atletas que atualmente representam o time.”

Fazem parte do Talentos RJ os seguintes atletas: Emanuel Rego, Ágatha/Bárbara e Pedro Solberg/Evandro (vôlei de praia), Rebecca de Andrade, Pétrix Barbosa, Sérgio Sasaki, Arthur Zanetti e Flávia Saraiva (ginástica artística), Martine Grael/Kahena Kunze (vela), Rafaela Silva, Victor Penalber (judô), Vitória Rosa (Atletismo), Ygor de Oliveira (badminton), Aline Facciolla (levantamento de peso) e João Souza (tênis).

Desses, quase todos são naturais do Rio, defendendo equipes locais. Ágatha e Emanuel são paranaenses, mas treinam nas areias cariocas. Pétrix e Sasaki, também naturais do ABC, defenderam o Flamengo durante a carreira e, sem clube, optaram por treinar no CT da ginástica. João Souza, o Feijão, também trabalha no Rio quando está no País.

(O texto publicado anteriormente estava errado. O técnico Marcos Goto, não o ginasta Arthur Zanetti se expressou contra a formação de uma seleção permanente no Rio)

Tudo o que sabemos sobre:

Arthur ZanettiGinástica Artística