As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Hugo Calderano volta a ir ao pódio no Circuito Mundial

Demétrio Vecchioli

25 de fevereiro de 2014 | 20h28

A etapa do Catar do Circuito Mundial de Tênis de Mesa voltou a contrastar, para o Brasil, o bom desempenho de Hugo Calderano na chave sub-21 (ganhou bronze novamente) com eliminações na primeira rodada da chave principal entre os adultos no masculino. Já havia sido assim uma semana antes, no Kwait.

Relembre:  Hugo Calderano vai a semi no Aberto de Kuwait e volta a fazer história

Cada vez mais firmado entre os melhores do mundo entre os juvenis, Hugo Calderano foi até a semifinal no Catar no sub-21, perdendo para o indiano Harmeet Desai. Aos 17 anos, o brasileiro é o 32.º do ranking mundial da categoria, ainda sem levar em consideração às duas medalhas ganhadas neste início de giro pela Ásia.

Curta o Olimpílulas no Facebook e siga no Twitter.

Entre os adultos, Calderano também foi o melhor brasileiro, vencendo um top100 na fase de grupos. Ele, Gustavo Tsuboi e Thiago Monteiro avançaram à chave principal, mas perderam na estreia. O alemão que fez 4 a 2 em Calderano chegou até as quartas. Cazuo Matsumoto ficou na fase de grupos.

O Brasil ainda teve Thiago Monteiro/Cazuo Matsumoto furando o quali e parando na estreia da chave principal em duplas, Caroline Kumahara e Gui Lin perdendo os dois jogos da fase de grupos em simples e na estreia delas em duplas, na fase preliminar.

Leia: Aos 17, Hugo Calderano já pensa como profissional no tênis de mesa

GAROTOS – Enquanto isso, na Suécia, jogou a nova geração, pelo Circuito Mundial Júnior. No feminino sub-18, Letícia Nakada e Bruna Takahashi chegaram até as oitavas de final, exclusiva de brasileiras, japonesas e francesas. Nas duplas, também foram até as oitavas. Mais um grande resultado delas.

No masculino sub-18, ninguém passar da primeira rodada em simples: Isaac Zauli, Massao Kohatsu, Renan Ferreira. Entre os sub-15, Renan venceu a primeira partida e Bruna foi até as oitavas.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.