Jogadores se unem em protesto contra crise na CBV
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Jogadores se unem em protesto contra crise na CBV

Demétrio Vecchioli

23 de março de 2014 | 19h34

A semana foi agitada no vôlei de praia. O Banco do Brasil cobrou da CBV explicações sobre as denúncias de corrupção na entidade, que pediu para ser suspensa a etapa brasileira do Circuito Mundial de Vôlei de Praia (leia no link). Juliana foi convocada para a seleção brasileira e, no fim de semana, perdeu o título do Circuito Banco do Brasil para Ágatha/Bárbara Seixas. No meio de tudo isso, um protesto dos jogadores.

Na quinta, o blog publicou entrevista com Emanuel (leia aqui) em que ele falava que os jogadores deveriam se unir para cobrar explicações do presidente Walter Pitombo Laranjeiras, o Toroca, sobre as denúncias de desvio de R$ 20 milhões. Durante a etapa final do Circuito Banco do Brasil, em Maceió (AL), os atletas se posicionaram.

Como o leitor pode ver na foto acima, todos os participantes da etapa se juntaram ao centro da quadra principal e posaram em silêncio, numa forma de mostrar o descontentamento com a gestão da entidade. Unidos, não podem sofrer qualquer tipo de retaliação. Gesto muito bonito deles.

EM QUADRA – A etapa de Maceió marcou o quarto encontro decisivo consecutivo de Alison/Bruno Schmidt e Emanuel/Pedro Solberg. E pela segunda vez seguida a vitória foi dos capixabas (21/17, 17/21 e 15/10), que haviam ganhado, semana passada, na decisão antecipada dos Jogos Sul-Americanos, quando a partida aconteceu na semifinal. Emanuel e Pedro, porém, haviam vencido as duas etapas anteriores do Circuito Brasileiro.

O título geral acabou com Márcio/Ricardo, com antecedência. Mas as três finais seguidas entre Alison/Bruno e Emanuel/Pedro mostram que são estas duas duplas as mais fortes do País e que as mudanças, no fim do ano passado, fizeram bem aos quatro atletas.

No total, Emanuel ganhou cinco etapas, somando ainda dois vices e um terceiro lugar nas oito etapas que disputou. Aproveitamento 100%. Pedro ganhou três de ouro e três de prata, contra quatro de ouro e três de prata de Alison. Ricardo/Márcio foi a dupla campeã mesmo fazendo apenas duas finais. Bruno/Hevaldo, bronze em Maceió, primou pela regularidade e acabou vice-campeã do Circuito.

FEMININO – Entre as mulheres não houve mudança de duplas (exceto pela gravidez de Rebecca). E o título premiou a melhor campanha de Ágatha/Bárbara Seixas, que ganhou três etapas e fez cinco finais. Em todas as nove etapas fez semifinal. Juliana e Maria Elisa perdeu o título por pouco (exatos 40 pontos). Fez mais finais (seis), também subiu oito vezes ao pódio, mas vacilou no Rio, quando caiu nas quartas. Pelo menos fechou a temporada com o ouro em Maceió, exatamente sobre Ágatha/Bárbara. Em oito confrontos, está 4 x 4.

Campeãs do Circuito Mundial, Talita e Taiana não foram bem no nacional. Só fizeram três finais e foram ao pódio em apenas quatro etapas. Pior ainda para Maria Clara/Carol. Das oito etapas que a dupla disputou, só chegou ao pódio em duas (um ouro e uma prata). Esperava-se mais das duas duplas, que jogaram a temporada inteira juntas, uma vez que foram beneficiadas na montagem da seleção. Ágatha e Bárbara tiveram que se separar, enquanto Juliana acabou cortada.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: